Tamanho do texto

Escritor brasileiro criticou duramente ação da Prefeitura e desafiou Crivella a confiscar os exemplares de sua obra, "11 Minutos", com cenas sexuais

Paulo coelho arrow-options
Reprodução/Instagram
Paulo Coelho critica Marcelo Crivella

O escritor Paulo Coelho criticou duramente nesta sexta-feira (6) a ação de funcionários da Prefeitura do Rio de Janeiro que vistoriaram a Bienal em busca de "material pornográfico" . Para o escritor brasileiro, a ação é "neotalibã". 

Paulo Coelho citou sua obra "11 Minutos" , que contém cenas de prostituição e práticas sadomasoquistas, e provocou: "Eles não ousaram encontar (ainda)".

Leia também: Censura? Crivella manda recolher da Bienal HQs de Vingadores com beijo gay

O escritor fez ao longo do dia algumas manifestações em seu Twitter a respeito do tema que provocou bastante polêmica ao longo do dia. O prefeito Marcelo Crivella decidiu recolher os exemplares da HQ "Vingadores: A Cruzada das Crianças", mas já não havia mais cópias disponíveis na feira

Em outra postagem Paulo Coelho desafiou Crivella a ir ao estande da Companhia das Letras para confiscar seu livro, "11 minutos". "Não está lacrado", provocou.