Produtora musical da rádio Excelsior/Globo  de São Paulo entre 1968 e 1978, a paulistana Sonia Abreu foi pioneira num ramo que seria muito celebrado nos anos seguintes: ela foi a primeira DJ brasileira, tocando em 1977 na discoteca Papagaio Disco Club, do empresário Ricardo Amaral.

Leia também: Relembre alguns atletas que morreram no auge de suas carreiras

Sonia Abreu
Reprodução/Facebook/Sonia Abreu
Sonia Abreu


Sonia Abreu morreu na última segunda-feira (26), aos 68 anos, em São Paulo, mas a notícia da morte só foi noticiada nesta terça (27). A DJ teve uma fadiga respiratória causada pela esclerose lateral amiotrófica, uma doença degenerativa. Em sua página no Facebook, amigos deixaram mensagens lamentando sua morte .

Leia também: Ator Peter Fonda, de Easy Rider, morre aos 79 anos; conheça sua história

Em em 1964, aos 13 anos, Sonia foi cantar na banda Happiness, fazendo covers de músicas estrangeiras na noite paulistana. Aos 16, tocou pela primeira vez numa cabine de uma festa, na casa do empresário e político paulistano Antônio Ermírio de Moraes. E aos 17, ela já estava produzindo a programação da rádio Excelsior , onde cuidaria também da seleção musical da coleção de os discos "A Máquina do Som", lançada pela Som Livre entre 1974 e 1978.

Leia também: Escritora, atriz e roteirista Fernanda Young morre aos 49 anos

Na mesma época iniciou sua coluna sobre música na Revista Pop . Em 1978, no auge da disco music no Brasil, Sonia Abreu foi responsável pelo lançamento de Automatic Lover , da cantora inglesa Dee D. Jackson — ela teve a ideia de botar uma amiga, a dançarina Regina Shakti, para fazer cover da música em shows em programas de TV e, no ano seguinte, receberia um disco de ouro pela vendagem do LP no Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários