Tamanho do texto

Presidente da república (PSL) afirmou que "Afronte", projeto autorizado a captar recursos pela Ancine para virar série, "foi pro saco"

A equipe do filme "Afronte" (2017) publicou uma carta aberta condenando a fala do presidente Jair Bolsonaro, onde ele sugere que o projeto de adaptar o curta para uma série não será autorizado acaptar recursos pela Ancine . Segundo o texto enviado por um dos diretores, Bruno Victor, os projetos citados por Bolsonaro "foram tratados de maneira leviana e explicitamente censurados".

Leia também: Rafinha Bastos sobre Danilo Gentili: "Se faz muito de coitado"

Bolsonaro arrow-options
Divulgação
Bolsonaro

" Afronte " foi apontado pelo Presidente [ Jair Bolsonaro ] em sua live semanal, exibida na noite de quinta-feira, como um exemplo entre "dezenas" de produções que deverão ser barradas na Ancine. Segundo ele, os projetos foram encontrados ao "garimpar na Ancine filmes que estavam já prontos para captar recursos no mercado".

Leia também: Gentili "se demite" após ironizar ida de Eduardo Bolsonaro à embaixada

"Esse filme sobre negros homossexuais no DF, confesso que não dá para entender", disse o Presidente, que completou: "Então, mais um filme aí, que foi pro saco aí".

Leia também: Rachel Sheherazade fala sobre ser afastada da bancada: "Fui pega de surpresa"

Além do curta, Jair Bolsonaro ainda citou os projetos "Transversais" e "Religare queer", também produções de temática LGBT. Segundo ele, as obras teriam entrado com pedidos na Ancine, mas o governo havia conseguido "abortar a missão".