A primeira leva de críticas da imprensa especializada sobre "X-Men: Fênix Negra" veio em grande parte negativa. O último episódio da franquia estreia nos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (6) e o filme por enquanto ostenta aprovação de apenas 21% no "RottenTomatoes" — a pior nota de toda a franquia.

Leia também: Disney deve fazer reboot de “X-Men”, mas manter Ryan Reynolds como Deadpool

Divulgação
"X-men: Fênix Negra" chega aos cinemas nessa quinta-feira (6)

X-Men  : Fênix Negra" traz Sophie Turner no papel de Jean Grey, ao lado de Michael Fassbender (Magneto), James McAvoy (Charles Xavier), Jennifer Lawrence (Mística) e Nicholas Hoult (Fera) e Tye Sheridan (Ciclope). O filme deve fechar a fase atual do grupo de mutantes no cinema, agora que a Fox foi comprada pela Disney e a Marvel conseguiu, enfim, reunir os seus principais heróis em um mesmo estúdio.

A conclusão da franquia, no entanto, não obteve nem sombra da aprovação de "  Vingadores: Ultimato  ". O jornal inglês Independent , por exemplo, deu apenas duas estrelas para o filme sem "nenhuma profundidade emocional", segundo o crítico Geoffrey McNab.

Leia também: Com extensa tour global, novo "X-Men" é o longa mais promovido da temporada

Filme não rende boas críticas
Divulgação
Filme não rende boas críticas

Peter Bradshaw, do Guardian , também deu duas estrelas, avaliando que o filme "oferece vislumbres de intriga antes de regredir a um festival de CGI (computação gráfica) tedioso".

"O aspecto mais interessante deste filme é o Xavier de McAvoy", diz a análise de Bradshaw. “Ele é mais opaco, mais mundano, mais reservado - e bebe mais. Pela primeira vez, percebemos que ele não é o idealista que poderíamos ter imaginado. Mística está cada vez mais irritada com a imprudência e o egoísmo de Xavier, arriscando a vida de seus alunos para sua própria glória — talvez como resultado de estar perto demais do establishment político de Washington. ”

A análise da  Variety  foi um pouco mais positiva, com elogios ao desempenho de McAvoy, "impulsionado por uma ambiguidade convincente": "Seu professor X é vaidoso, controlador e com fome de relações públicas, sem mencionar um grande enganador - todas as coisas que Mística o acusa de ser", diz a crítica. “No entanto, o que ele diz em sua própria defesa também é verdadeiro: ele está desesperado para proteger o status dos X-Men, para não deixá-los escapar de ser estigmatizados, mais uma vez, pelo mundo em geral".

Leia também: Além de Danny DeVito: atores que podem viver o Wolverine no cinema

Sophie Turner em
Divulgação
Sophie Turner em "X-men: Fênix Negra"

Ian Sandwell, da Digital Spy,  disse que “em retrospectiva, o atraso da 'Fênix Negra' em novembro de 2018 não ajudou. Reposicionado como o 'culminar' da franquia, ele sofre em comparação com 'Vingadores: Ultimato' e uma parte fundamental do terceiro ato é uma cópia do momento da Capitã Marvel".

O Hollywood Reporter  também comparou o filme desfavoravelmente. "Comparado com as conclusões de outras grandes franquias — sendo a mais recente o último filme da Marvel — esta parece claramente de menor porte".

A Entertainment Weekly  disse que “é verdade que eles nunca foram exatamente os palhaços do Universo Marvel; seu status de herói sempre foi condicionado a humanos temerosos, e a família de mutantes escolhidos em que eles desembarcaram é menos escolha do que necessidade. Por que eles deveriam ter que brigar por nós também? Ainda assim, para o que está sendo chamado de um momento final, tudo tende a parecer anticlimático e um pouco sombrio no final. ”

“Melhor que 'O Confronto Final' ou 'Apocalipse' mas nunca atingindo as alturas de ' X-Men 2', 'Fênix Negra' prospera quando seus heróis estão na frente e no centro. Se este é o fim, é um adeus sólido, mas não espetacular", disse Ian Freer, da Empire .

    Veja Também

      Mostrar mais