Tamanho do texto

Longa-metragem do cineasta retrata a vida de um trabalhador autônomo tentando sobreviver no mercado de trabalho enxuto dos tempos modernos

Após ser assombrada por distopias, a competição do 72º Festival de Cannes saiu do modo cinema fantástico para encarar o drama sem de “Sorry we missed you”, de Ken Loach.

Leia também: Com fantasia e terror gore, "Bacurau" causa sensação em Cannes

Cena do filme
Divulgação
Cena do filme "Sorry We Missed You"

Exibido  na última quinta (16) no Festival de Cannes , o filme é um exemplar genuíno de realismo social do cineasta britânico, que é conhecido por seu histórico de tramas que tentam dar conta de questões urgentes de seu tempo.

Leia também: Isis Valverde capricha na produção para o tapete vermelho do Festival de Cannes

Desta vez, o autor de “Meu nome é Joe” (1996), que disputa sua terceira Palma de Ouro, foi atrás dos estragos da chamada “gig economy”, ou seja, a do trabalho temporário sem vínculos empregatícios, na harmonia e na saúde da família britânica.

Escrito por Paul Laverty, antigo colaborador de Loach, “ Sorry We Missed You ” descreve as consequências da entrada de Ricky (Kris Hitchen), um trabalhador de Newcastle que perdeu casa e emprego após a crise econômica de 2008, numa empresa de entrega de encomendas que não assina contrato com seus “sócios”.

Cena do filme
Divulgação
Cena do filme "Sorry We Missed You"

Pela nova ordem do empreendorismo liberal, Ricky tem que comprar a própria van, trabalhar 12 horas por dia, seis dias por semana, em troca de um cachê e um pacote de metas quase impossíveis de serem alcançadas pelos funcionários. Logo a pesada carga horária e o estressante do ritmo de trabalho na companhia começa a pesar sobre a família.

"O conceito de trabalho assalariado tem mudado muito desde a minha juventude", lembrou o veterano realizador de 82 anos, durante encontro com a imprensa no final da manhã desta sexta-feira (17). "Naquela época, nos diziam que se você tivesse uma habilidade e uma profissão teria emprego para sempre, e condição de sustentar uma família com o seu salário. Recentemente, houve mudanças sérias nas condições de trabalho, e as pessoas agora enfrentam a insegurança de empregos sem contratos formais".

O roteirista Paul Laverty construiu o roteiro do longa a partir de entrevistas com trabalhadores temporários de Newcastle, cidade ao Norte da Inglaterra onde o diretor rodou sua obra anterior ("Eu, Daniel Blake"), vencedor da Palma de Ouro em Cannes.

Cena do filme
Divulgação
Cena do filme "Sorry We Missed You"

Leia também: Após detox social, Selena Gomez ressurge das cinzas ao reinar em Cannes

O título do filme de Ken Loach que está brilhando no Festival de Cannes é uma referência à mensagem dos cartões padrozinados deixados pelos entregadores nos endereços dos clientes ausentes: “Desculpe por não tê-lo encontrado” (em tradução livre).