Os fãs de Maroon 5 estão invadindo as redes socias da banda pedindo para que eles cancelem o show no Villa Mix Festival, marcado para o dia 6 de julho no autódromo de Interlagos, em São Paulo. Através dos comentários, internautas dizem que o local do evento não respeita mulheres, negros e qualquer pessoa "fora do padrão deles".

Leia também: Maroon 5 dá adeus ao rock e abraça pop eletrônico com gosto em "Red Pill Blues"

Maroon 5
Reprodução/Instagram
Maroon 5 se apresenta em julho no Villa Mix, em São Paulo


Além disso, o preço para as entradas do evento que tem Maroon 5 e mais atrações é considerado extremamente alto: os valores chegam a quase R$ 2,700,00 para dois dias de shows. Em lotes promocionais, no entanto, estudantes conseguem comprar suas entradas pelo valor mínimo de R$ 450.

Leia também: Jessie J fará show em São Paulo antes do Rock in Rio

Nas redes sociais , uma brasileira usou a última publicação da banda para protestar: "Eu espero que vocês cancelem a participação no Villa Mix Festival , em São Paulo. Vocês não podem estar associados a uma empresa tão vergonhosa".

Em outro comentário, um internauta pede para a banda reavaliar as condições em que o público será exposto. "O local onde o show será realizado nos dias 6 e 7 de julho não respeita mulheres, negros e qualquer um que não esteja em um julgamento padrão para eles".

Outra fã da banda também pede para que eles não venham ao Villa Mix, porque eles apoiam "ódio e violência" e ainda relembraram o caso de uma menina, vítima de violência no local no último sábado (6).

A publicitária Tayanara Diniz usou suas redes sociais para relatar as agressões físicas que sofreu no local no último final de semana. Segundo a jovem, ela foi espancada por cinco homens após uma confusão. " “Levei socos na cabeça, nos olhos, nas costas, chutes nas pernas, tive o meu vestido rasgado, além da humilhação que passei”.

Leia também: Charlie Brown Jr. retorna em tributo, mas merece ficar na história

Vale lembrar que o Villa Mix, onde o Maroon 5 se apresentará, já foi investigado por discriminação após ser acusado de proibir a entrada de pessoas que são consideradas "fora dos padrões" pelos organizadores.

    Veja Também

      Mostrar mais