Tamanho do texto

Despacho assinado por Christian de Castro, que paralisa as atividades da agência nacional de cinema, pegou o setor do audiovisual de surpresa

 O diretor-presidente da Ancine, Christian de Castro, mandou suspender o repasse de verbas para a produção de filmes em série. A ordem consta num despacho publicado por Castro na última quinta-feira (18).

Leia também: Ancine contesta TCU e tenta evitar suspensão de contratos no audiovisual

Diretor-presidente da Ancine
Divulgação
Diretor-presidente da Ancine resolve suspender repasses

Com isso, estão paralisadas as atividades da Ancine , o que inclui estímuloas para o audiovisual  nacional.

Leia também: Kleber Mendonça Filho terá que devolver R$ 2,2 milhões ao Governo por filme

O despacho pegou o setor de surpresa, especialmente, porque veio horas depois de a Ancine anunciar que iria recorrer do acórdão do Tribunal de Contas da União ( TCU ), que está na origem de todo o imbróglio.

  • Entenda o caso

No dia 29 de março, o Trinbunal de Contas da União elaborou o acórdão, pelo qual deixou a agência de audiovisual impedida de celebrar novos contratos que destinem dinheiro público para o setor, através do fundo do setor e repasses diretos, por conta de suspeitas de irregularidades nas prestações de contas.

Leia também: Ancine cobra devolução de verba de "O Som ao Redor"; diretor vê punição injusta

Na última quinta (18) a Ancine nacional encaminhou um embargo para suspender os efeitos da ação do TCU por entender que as matérias contidas no acórdão devem ser analisadas em processo separado, no entanto, ao que parece, a agência resolveu dar para trás na decisão nesta sexta (19).