Tamanho do texto

Conheça a carreira do polonês que já teve “Ida” indicado como Melhor Filme Estrangeiro e agora quebra a barreira internacional na categoria de direção

Curiosamente, dois diretores indicados na categoria no Oscar 2019 fizeram filmes em preto e branco. Mas, enquanto Alfonso Cuarón recorreu às memórias de infância para fazer “Roma”, o polonês Pawel Pawlikowski contou uma história de amor impossível durante os anos da Guerra Fria.

Pawel Pawlikowski é indicado como Melhor Diretor e sai da
Divulgação
Pawel Pawlikowski é indicado como Melhor Diretor e sai da "bolha" de Filme Estrangeiro com "Guerra Fria"

O diretor talvez seja o nome menos “hypado” da lista de Melhor Diretor divulgada na terça-feira (22), mas com certeza não lhe falta talento. Em 2015 Pawel Pawlikowski levou para casa o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro pelo tocante “Ida”, porém sua carreira expande as barreiras da Polônia.

Leia também: "Roma" e "A Favorita" lideram corrida pelo Oscar 2019; veja os indicados

Ele já fez o inglês “Meu Amor de Verão”, que foi reconhecido pelo BAFTA como melhor filme britânico em 2005, mudou sua localização para Paris e apostou em Ethan Hawke em “Estranha Obsessão” e tratou de política russa em “Last Resort”.  

Divulgação
"Guerra Fria" supera barreira de Filme Estrangeiro e ainda recebe indicação por fotografia

Guerra Fria ” é seu segundo filme em preto e branco, e o mais bem sucedido até aqui. O filme se passa na Polônia, Alemanha, França e a antiga Iugoslávia e conta a história de um casal, Wiktor (Tomasz Kot) e Zula (Joanna Kulig), com histórias e passados completamente diferentes, que engatam um romance que parece destinado a um final infeliz. Integrantes de uma trupe musical, eles se tornam amantes e decidem fugir juntos. O amor aparentemente impossível se mescla ao clima de perseguição e conflito iminente do pós-guerra, com pitadas de política e espionagem.

Leia também: Alfonso Cuarón  iguala recordes de Orson Welles e Warren Beatty no Oscar

Além do Oscar de Melhor Diretor o filme também foi indicado a Melhor Filme Estrangeiro e, numa campanha internacional que se não fosse “Roma” poderia ser chamada de muito sucesso, conseguiu ser incluído em uma terceira categoria, Melhor Fotografia.

Leia também: Oscar adota viés mais progressista com escolhas de 2019

A indicação do diretor mostra que a Academia está disposta a buscar novos olhares no cinema. Além dele e do citado Cuarón, que é mexicano, o grego Yorgos Lathimos garantiu uma vaga, tornando a categoria majoritariamente internacional. E merecida para Pawel Pawlikowski

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.