Tamanho do texto

Depois de um 2017 “menos épico”, Comic Con Experience promete retomar a boa forma com grandes nomes e participação significativa de estúdios

Em 2017 a CCXP passou por uma pequena crise e, apesar de contar com a participação dos principais estúdios, não teve grandes nomes de peso para abrilhantar o evento, deixando para Will Smith brilhar sozinho ao lançar “Bright” pela Netflix .

Noah Schnapp (Will), Sadie Sink (Max) e Caleb Mclaughlin (Lucas) de
Divulgação
Noah Schnapp (Will), Sadie Sink (Max) e Caleb Mclaughlin (Lucas) de "Stranger Things"participarão da CCXP

Para compensar a falta de grandes estrelas nos painéis, o evento apostou em stands monstruosos e interativos, fazendo os presentes circularem, encarando grandes filas e lotando lojas por todo o salão do São Paulo Expo. Em 2018, porém, a CCXP promete não só retomar a boa forma, como tem potencial para ser a maior edição do evento até agora.

Leia também: As 10 maiores atrações internacionais da CCXP 2018

Desde a primeira edição em 2014, o plano era ambicioso e a comparação sempre foi com o maior evento do tipo: a San Diego Comic Con, nos EUA. O famoso Hall H atraiu os principais super-heróis do cinema nos últimos dez anos, desde Katniss (Jennifer Lawrence) de “Jogos Vorazes”, até o vilão Thanos (Josh Brolin) do mais recente “Vingadores”.

Parece que o Auditório Thunder Cinemark finalmente tem a chance de virar o “Hall H” brasileiro e em 2018 o evento terá a maior quantidade de heróis de qualquer edição. Charlie Cox já passou por aqui para falar de “Demolidor” e Danai Gurira já representou “Pantera Negra”, mas esta edição terá muitos protagonistas de filmes que ainda estão por vir.

As continuações dos filmes de heróis são constantes e é difícil ver um novo surgir do zero, mas este ano a feira terá dois: Capitã Marvel (Brie Larson) e Shazam (Zachary Levi). Da Marvel e Warner, eles poderão contar um pouco mais sobre as histórias originais (e quem sabe Larson não entrega algum spoiler do próximo “Vingadores”?).

Além disso, Sophie Turner assume o posto de protagonista na sequência de X-Men como Jean Grey, uma das principais mutantes dos quadrinhos, mas que não teve o cuidado necessário em sua versão anterior nas telonas.

Leia também: Não tem para ninguém! Com diversas atrações, Netflix domina a CCXP brasileira

Para quem não tem tanto amor pelos heróis ainda sobra muita novidade: “Creed II”, “Caixa de Pássaros”, “Stranger Things” e “Vidro” ganharão painéis com suas principais estrelas e diretores.

Para completar, o grande Peter Jackson fará uma participação, mesmo que remota. O criador da saga “Senhor dos Anéis” e “O Hobbit” vai apresentar seu novo filme “Máquinas Mortais” por meio de um link ao vivo durante o painel da Universal.

Até mesmo a HBO, que aposta em stands grandiosos, mas economiza nos convidados está trazendo novidades. Nada menos do que os criadores de “Game of Thrones” darão as caras em um painel da série. Além da atriz Maise Williams, que vive Arya Stark. Esse é o primeiro ano que o canal leva alguém para a CCXP.

E, embora a Netflix domine o evento, outro streaming vai chamar a atenção este ano. O Prime Video da Amazon participa pela primeira vez trazendo Ricky Whittle, protagonista de “Deuses Americanos”, série baseada na obra de Neil Gaiman. Para completar, a Comic Con terá três pré-estreias este ano: "Creed II", “Aquaman” e “Wi-fi Ralph”.

No salão do evento, uma das principais áreas é dedicada a essência de qualquer Comic Con: as HQs, que são protagonistas no Artist’s Alley. Em 2017 foram 176 mesas com artistas independentes e renomados expondo seus trabalhos e conversando com os fãs. Sem ter que dividir o espaço com atrações internacionais, os criadores viram o espaço encher. Encher tanto a ponto da organização aumentar esse número para 352 mesas em 2018.

Vai Brasil!

Divulgação
"Irmão do Jorel", animação brasileira do Cartoon netwok, vai ganhar painel próprio na CCXP

Artistas brasileiros acabam tendo seu espaço na edição e esse ano não será diferente. O destaque principal é Gabriel Bá, veterano no evento, mas que dessa vez participa do painel da Netflix dedicado a “The Umbrella Academy”. A nova série do streaming foi criada por Gerard Way, vocalista do My Chemical Romance, e desenhada por Bá. Ambos estarão no auditório principal ao lado de parte do elenco.

Quem também tem sempre espaço garantido e Maurício de Souza e sua “Turma da Mônica”. Mas esse ano a participação da turma do Limoeiro terá gostinho especial já que o live-action da HQ está prestes a ser lançado. O elenco comparece em peso no painel.

Juliano Enrico, criador do desenho do Cartoon Network “Irmão do Jorel” também terá um painel para chamar de seu. “Jorel” é a primeira produção brasileira do Cartoon e conclui este ano sua terceira temporada.

Já Paolla Oliveira ocupará o posto global da edição apresentando “Bumblebee”, filme da Paramount onde ela faz a dublagem.

Em baixa na CCXP

Sony fez um dos melhores painéis da CCXP 2017, mas ainda não confirmou participação no evento em 2018
Divulgação/CCXP
Sony fez um dos melhores painéis da CCXP 2017, mas ainda não confirmou participação no evento em 2018

Mesmo com ótimas perspectivas para este ano, a Comic Con nem sempre acerta e alguns pontos ainda são incertos. Todo ano eles apostam em uma área dedicada a música que até agora não emplacou. Embora tenha confirmado grandes nomes do rock nacional atual, como Far From Alaska e Supercombo, as apresentações musicais parecem desconectadas do resto do evento.

Entre os estúdios, a surpresa negativa fica por conta da Sony, que fez o maior e melhor painel do evento em 2017, mas até agora não anunciou sua participação. Por fim, os games devem ter menos destaque, já que eles ganharam um evento próprio dos mesmos criadores, o Game XP.

Inicialmente parte da CCXP, O Game XP foi transferido para o Rio de Janeiro durante o Rock in Rio em 2017 e finalmente ganhou pernas próprias este ano. Com isso, dificilmente terá notoriedade agora em dezembro.

    Leia tudo sobre: game of thrones
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.