Tamanho do texto

Cate Blanchett foi escalada para dar vida à advogada Phyllis Schlafly, conhecida por tentar impedir avanços nos movimentos feministas e LGBTs

A atriz australiana Cate Blanchett, vencedora de dois Oscars, foi escolhida para ser a intérprete da advogada anti-feminista Phyllis Schlafly em nova minissérie produzida pelo  FX , intitulada " Mrs. America ". As informações foram confirmadas pela Variety na tarde desta terça-feira (30).

Cate Blanchett vai interpretar a advogada anti-feminista Phyllis Schlafly, em minissérie da FX
Reprodução
Cate Blanchett vai interpretar a advogada anti-feminista Phyllis Schlafly, em minissérie da FX

Leia também: Cate Blanchett prega cautela sobre caso Woody Allen: "rede social não é júri"

A minissérie "Mrs America", que tem a atriz Cate Blanchett como parte de seu elenco, ainda não tem previsão de estreia. O que se sabe, no entanto, é que a minissérie criada por Dahvi Waller ("Mad Men") se passa nos anos 70 e gira em torno do movimento conservador, que levanta uma proposta contrária à do movimento feminista. 

Além disso, a minissérie visa abordar nomes históricos do feminismo, como Shirley Chisholm, Gloria Steinem, Bella Abzug, Jill Ruckelshaus e Betty Friedan,  e o modo como as suas ideologias geraram uma reação controversa da população conservadora da época.

A atriz australiana - que também será produtora executiva da minissérie - comunicou sobre a sensação voltada ao seu mais recente trabalho: "Eu estou animada para mergulhar nesse material, e sinto que não poderia haver momento mais oportuno para olhar para as muitas camadas desse momento histórico que vamos retratar".

A história de Phyllis Schafly, que vai ser interpretada por Cate Blanchett

Cate Blanchett vai interpretar a ativista conservadora Phyllis Schafly em
Reprodução
Cate Blanchett vai interpretar a ativista conservadora Phyllis Schafly em "Mrs. America"

Leia também: "Não queremos transar com vocês", diz Cate Blanchett em discurso empoderador

Formada em Direito, a estaduniense Phyllis Schlafly  nasceu em 1924 e morreu em 2016, pouco depois de completar 92 anos. A advogada, escritora e palestrante conquistou conhecimento por causa de seus ideais opostos ao movimento feminista.

Uma vez formada, Phyllis se dedicou a frequentes tentativas de impedir avanços no feminismo, o que tornou seu nome uma grande influência ao conservadorismo americano. Além de fundar o Eagle Forum, atuou como comentarista em canais de comunicação conservadores. Em seus últimos anos de vida, Schlafly agiu em defesa de Donald Trump, atual presidente dos Estados Unidos. 

Leia também: Cate Blanchett vive 13 personagens no aclamado "Manifesto"

A ativista conservadora vai ganhar vida a partir da atuação da australiana Cate Blanchett . É válido ressaltar que as gravações da minissérie têm início a partir do ano que vem.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.