Tamanho do texto

Diretor do filme Kléber Mendonça se pronunciou a respeito de cobrança do Ministério da Cultura por uso indevido de capital do governo

O diretor Kléber Mendonça FIlho e a equipe que produziu o longa “O Som ao Redor” se viu em meio a uma polêmica quando veio a público uma cobrança do Ministério da Cultura por uso indevido de verba federal. O filme de 2012, que percorreu festivais do mundo todo, inclusive Toronto, capitou verbas de órgãos federais e estaduais e foi acusado pelo Ministério de exceder o valor determinado para capitalização.

Kleber Mendonça Filho, diretor de
Reprodução
Kleber Mendonça Filho, diretor de "O Som ao Redor", recebeu multa de R$ 2 milhões do MinC

Feita a cobrança, no valor de R$ 2,16 milhões, Kléber veio a público para se defender nessa terça-feira (29) em uma carta aberta direcionada ao Ministro da Cultura Sérgio Sá Leitão. Agora, a classe artística está se manifestando em apoio ao diretor de “ O Som ao Redor ”, capitaneada por Wagner Moura , que criou um abaixo assinado on-line.

Leia também: Acidentalmente partidarizado, "Aquarius" se projeta em meio a impeachment

Em um manifesto, que já tem mais de 300 assinaturas, os artistas comentam que “assistem com perplexidade e democrática preocupação a conduta do Ministério da Cultura diante do Diretor Kleber Mendonça Filho e sua equipe de produção".

Além de propor um “diálogo respeitoso” para reverter a “multa infundada e injusta”, eles questionam como fica a produção cultural brasileira a partir de um incidente como este. Leia o texto na íntegra:

Juntos com Kléber Mendonça Filho

Nós, que vemos a Cultura como peça fundamental para o desenvolvimento de um povo e que assinamos abaixo, assistimos com perplexidade e democrática preocupação a conduta do Ministério da Cultura diante do Diretor Kleber Mendonça Filho e sua equipe de produção.

Uma pergunta ressoa como um barulho ensurdecedor ao redor: “Como fica impactada a produção cultural brasileira atual, com sentimento de vulnerabilidade incompatível com um pensamento democrático, a partir de um incidente como este?”

Com absoluta certeza, não trata-se de uma questão privada, mas de liberdade de expressão. Uma questão própria da luta da Cultura no Brasil que sempre foi e sempre será um território livre de Democracia.

Assim sendo, esperamos que o Ministro da Cultura receba em audiência o Diretor Kleber Mendonça Filho para estabelecimento do diálogo respeitoso e a reversão administrativa dessa multa infundada e injusta afastando, dessa forma, qualquer sombra autoritária de perseguição política ou de atentado à liberdade de pensamento e expressão.

Leia também: "Antes que eu me Esqueça" lança olhar tenro sobre como lidamos com a velhice

Apoio a “O Som ao Redor”

Wagner Moura foi o criador do abaixo assinado em defesa de
Divulgação
Wagner Moura foi o criador do abaixo assinado em defesa de "O Som ao Redor"

Entre os nomes que assinaram o manifesto está o de Dira Paes, Monica Iozzi, Sophie Charlotte, Daniel de Oliveira, Fábio Assunção, Maria Gadú, Jesuíta Barbosa, Caio Blat, Emanuelle Araújo e Maeve Jenkings, que faz parte do elenco de “O Som ao Redor”.

Leia também: “Eu não consigo ter ideologia” afirma José Padilha em entrevista a Pedro Bial

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.