A banda Titãs anunciou nessa segunda-feira (28) o afastamento do baixista Branco Mello . De acordo com um comunicado oficial, Branco ficará três meses afastado dos shows para tratar de um tumor na laringe, diagnosticado precocemente.

undefined
Reprodução/Facebook
Baixista do Titãs, Branco Mello se afastará temporariamente da banda para tratar um tumor na laringe

Ele permanecerá recluso para o tratamento do câncer e sua volta aos palcos acontecerá em breve, para o início da turnê do último DVD dos Titãs , a ópera “Doze Flores Amarelas”, que tem o lançamento programado para o segundo semestre de 2018.

Leia também: De Pabllo Vittar a Paulo Miklos: os dez melhores discos nacionais do ano

O comunicado informa ainda que os outros integrantes da banda, Sérgio Britto, Tony Bellotto, Beto Lee e Mário Fabre continuarão na estrada, com a participação de Lee Marcucci – que já tocou com a banda e assumirá o baixo nesse curto período – honrando os compromissos dos Titãs até o retorno de Branco Mello.

Titãs

undefined
Divulgação
Titãs lançou este ano "Doze Flores Amarelas", que ganhará um DVD no segundo semestre

Branco Mello é um dos membros fundadores do Titãs, junto com Britto e Bellotto, que seguem na banda, além de muitos ex-integrantes ilustres, como Nando Reis, Arnaldo Antunes e Paulo Miklos.

Leia também: Fora do Titãs, Paulo Miklos lança álbum e diz: "É como se fosse um RG meu"

Considerada uma das maiores bandas de rock do Brasil, o Titãs tem uma vasta discografia, que inclui o clássico “Cabeça Dinossauro”, de 1986. Com muitos altos e baixos, o Titãs segue como uma das bandas mais relevantes do cenário nacional. Seu último disco foi o elogiado "Nheengatu", de 2016. Depois disso, a banda viu as gravações do trabalho seguinte serem adiadas pro conta da saída de Miklos. Programado para 2017, o novo disco foi lançado apenas este ano. 

Leia também: De Camila Cabello a Franz Ferdinand: saiba os discos mais aguardados para 2018

“Doze Flores Amarelas” é o 15º álbum de estúdio do Titãs , que foi lançado aos poucos desde abril. Pensada como uma ópera rock, a história do disco foi desenvolvida por Marcelo Rubens Paiva e Hugo Possolo e acompanha três meninas estupradas por cinco homens e as consequências que o crime trouxe a todos. O disco tem três atos que somam 29 músicas.

    Veja Também

      Mostrar mais