Tamanho do texto

Neste sábado (12) 82 mulheres, lideradas por Cate Blanchett, fizeram um protesto pedindo mais oportunidades para mulheres no cinema

As reverberações do “Me Too” e do diálogo aberto no último ano em Hollywood continuam acontecendo por toda a indústria cinematográfica. O Festival de Cannes, que começou na última terça-feira (08) não ficou de fora e, com um júri presidido por uma mulher, viu um protesto surgir na manhã deste sábado.

82 mulheres tomaram a escadaria do Theâtre Debussy exigindo igualdade de gênero na indústria cinematográfica
Divulgação
82 mulheres tomaram a escadaria do Theâtre Debussy exigindo igualdade de gênero na indústria cinematográfica

Cate Blanchett e Agnès Varda ficaram a frente das 82 mulheres que tomaram a escadaria do Theâtre Debussy durante o Festival de Cannes na manhã deste sábado (12), alertando para a falta de oportunidade para mulheres na indústria, principalmente por trás das câmeras.

Leia também: Sob pressão inédita, Cannes encara desafio de manter foco sobre o cinema em 2018

O número não é aleatório: em seus 17 anos de existência, apenas 82 filmes dirigidos por mulheres foram selecionados para a competição principal, enquanto os representantes do sexo masculino somam 1645 longas no mesmo período.  

 “Nós esperamos que os nossos governos garantam que as leis de igualdade salarial e igualdade de trabalho sejam cumpridas. Nós exigimos que nosso ambiente de trabalho seja diverso e igual, para que reflita de maneira adequada o mundo em que vivemos. Um mundo que permite a todos nós, na frente e atrás das câmeras, prosperar igualmente”, disse Blanchett em parte de seu discurso em inglês, enquanto Varda repetia as palavras em francês.

Leia também: Confira os filmes em competição no festival de Cannes de 2018

Ava DuVernay, Kristen Stewart e Léa Seydoux, que também integram o júri, participaram do protesto, assim como outros nomes conhecidos como Marion Cotillard, Patty Jenkins e Salma Hayek.

Mudanças profundas

Lideradas por cate Blanchett e Agnès varda, artistas protestam no festival de Cannes
Divulgação
Lideradas por cate Blanchett e Agnès varda, artistas protestam no festival de Cannes

O último ano viu uma série de denúncias que abalaram as estruturas de Hollywood. Muitas mulheres começaram a denunciar assédio sexual em seu ambiente de trabalho, fazendo com que a indústria repensasse a maneira como as mulheres são tratadas na frente e atrás das câmeras.

Leia também: "Não queremos transar com vocês", diz Cate Blanchett em discurso empoderador

Seguindo essa onda, era imaginável que um dos maiores festivais de cinema também impusesse esse questionamento. Na abertura do Festival de Cannes , Blanchett comentou sobre “mudanças profundas” que precisam acontecer na indústria para que a mesma alcance igualdade de gênero.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.