Tamanho do texto

Marcelo Varzea, escritor e ator, falou com o iG sobre seu espetáculo, que está em cartaz em São Paulo desde 20 de fevereiro e agora viajará pelo Brasil

espetáculo  "Silêncio.doc" estreou em no Auditório MuBE, localizado no Jardim Europa, em São Paulo, no dia 20 de fevereiro e, desde então, vem fazendo sucesso em sua temporada. Agora, a peça se prepara para viajar pelo Brasil para dar continuidade ao trabalho.

Leia também: Sucesso na TV e no teatro, Fernanda Souza se reinventa fora da Globo

Divulgação
"Silênio.doc" está em cartaz desde o dia 20 de fevereiro, em São Paulo


Escrito em 2007, "Silêncio.doc" fala de um homem que tenta se recompor e decifrar enigmas depois de sofrer uma separação amorosa repentina. O personagem discorre todas as suas conjecturas e revela ao público seu fluxo de pensamento compulsivo, alternando a consciência da situação ora patética, ora dolorosa, em que se encontra. 

Leia também: Superman completa 80 anos com toda a vitalidade de um herói

"Eu escrevi o espetáculo há 11 anos. Eu sou ator há 30 anos e dirijo também, mas nunca tinha escrito, e eu escrevi um texto a partir de uma experiência de uma separação trágica que vivi", conta Marcelo Varzea , ator e escritor do espetáculo. Hoje, ele e a mulher são casados e amigos uns dos outros, mas o término foi bem difícil de acordo com ele.

"Eu vi que vários amigos homens tinham dificuldades de falar o que sentiam e sofriam muito", comentou ele a respeito do tema do espetáculo. "Temos a questão do masculino, de não falar o que pensa, sente, ou não chora, e eu escrevi esse texto, mas ele ficou guardado".

Marcelo ainda comenta que a peça é muito triste por um lado, mas ao mesmo tempo é bem engraçada. "É uma situação patética, a plateia canta e, no final de todas as sessões, alguém sobe no palco comigo para bater um papo sobre amor e separação", completa ele.

"Silêncio.doc"

Naava Bassi
"Silêncio.doc"


Leia também: "Górgona" propõe reflexão sobre velhice por meio da relação de atriz com teatro

"Silêncio.doc"  foca no trabalho de ator, que passeia por  jogo de palavras, morfologia e etimologia, promovendo por vezes uma aula, um simpósio, uma palestra sobre a dor de amor. Filosofa, constrói teses e mergulha nos seus pensamentos mais profundos, alternando a quebra e/ou interposição da quarta parede, para que todos estejam juntos olhando pras próprias vidas e crie-se um diálogo empático. O individuo, seus pares e o coletivo amoroso. Humor e dor.

Ficha técnica

Texto e atuação: MARCELO VARZEA

Direção: MARCIO MACENA

Cenário : ANDRÉ CORTEZ

Figurino: LEOPOLDO PACHECO

Iluminação: CESAR PIVETTI

Direção de Movimentos: ERICA RODRIGUES

Trilha Sonora: MÁRCIO GUIMARÃES

Produção: RICCO ANTONY

    Leia tudo sobre:
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.