Tamanho do texto

A música "Guerra" ganhou forte tom político em novo clipe; confira

“Advertência: Qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência. Alto teor de pornografia, cara de pau e violência gratuita”. É assim que os músicos da banda Trampa começam videoclipe da música “ Guerra ” que está dando o que falar. Simulando o início de uma propaganda eleitoral gratuita, trazendo uma forte crítica a situação política brasileira atual.

Banda Trama critica governo atual
Reprodução
Banda Trama critica governo atual

Leia também: “Mister Brau” volta com músicas inéditas e Taís Araújo diva

No clipe de Trampa , são apresentado quatro personagens: Presidente Fora, em referência a Michel Temer, o Senador Snow, fazendo alusão à Aécio Neves e a polêmica de consumo de cocaína, o Deputado Mito, que possui um capuz aos moldes da Ku Klux Kan fazendo referência à Jair Bolsonaro e o Sapo de Toga aludindo Gilmar Mendes. No clipe, todos se unem com o cenário de Brasília fazendo uma grande bagunça com o povo, montes de dinheiro, drogas, álcool e trazendo frases polêmicas – algumas inclusive ditas pelos próprios políticos na vida real – à tona.

Leia também: Em sua primeira edição, Festa TRANSE apresenta 2DE1 e Não Recomendados

O clipe ainda termina com um apelo: “Nas próximas eleições não votem em: racistas, homofóbicos, machistas, corruptos, falsos moralistas”. A música integra o álbum da banda intitulado “Viva La Evolucion”, lançado em 2016. O clipe contou com as atuações dos atores Marcel Papa (o Fora), Arthur Brenner (o Porco), Eduardo Nunes (o deputado federal O Mito) e Danilo Andrade (que faz menino em situação de rua). 

Leia também: Anitta volta ao Multishow com programa interativo e internet aprova

Confira o clipe de Trama:  

Um ano eleitoral

Cena do clipe da música Guerra
Reprodução
Cena do clipe da música Guerra

Para o vocalista da banda, André Noblat, a inspiração para a realização do clipe diz muito sobre o contexto atual brasileiro. “É um ano eleitoral. O país está descrente da classe política, aliás, descrente de todos os poderes. E queremos, de alguma forma, mostra que a solução não é mais do mesmo. Que a solução também não pode ser o falso moralismo racista e preconceituoso e a construção de um novo caminho está passando por esse tipo de pessoa”, comenta.

“Pessoas que estão no poder para se safar da justiça, para retirar direitos, para promover intolerância. Como o humor nos ajuda a sobreviver a momentos como esses, escolhemos o humor, algo que nunca tínhamos feito, para dar esse recado”, completa o músico da banda Trama .