Tamanho do texto

Mesmo com elenco principalmente masculino, nova versão de "Tomb Raider" tenta evitar objetificação da personagem como ocorreu com Angelina Jolie

Em tempos de representatividade , os filmes, principalmente os que têm como objetivo se tornar um “blockbuster”, são analisados por um microscópio. O pedido por mais mulheres na indústria cinematográfica é genuíno e as grandes franquias ainda tem que provar que podem equilibrar a balança. “Star Wars”, por exemplo, tem personagens femininas importantes, que são complexas e relevantes para a trama, mas por trás das câmeras não há mulheres na direção ou assinando o roteiro da franquia, seja nos filmes originais ou paralelos, como “Rogue One”. “Tomb Raider”, que estreia essa semana, tem a chance de trazer de volta uma icônica personagem, sob essa nova perspectiva.

Leia também: Sensação sueca, Alicia Vikander é melhor atriz coadjuvante no Oscar 2016

Cena do novo
Divulgação
Cena do novo "Tomb Raider" protagonizado por Alicia Vikander

A personagem principal não é bem uma novidade. “ Tomb Raider : A Origem” é um reboot do original de 2001, estrelando Angelina Jolie , que por sua vez era uma adaptação do videogame. No controle, a personagem estava sozinha em meio a milhares de jogos protagonizados por homens, o que faz a existência de Lara Croft nos games por si só já ser uma vitória. A adaptação para as telonas também foi um grande passo, considerando os poucos filmes de ação até então protagonizados por mulheres.

Leia também: "Guerra Infinita", novo de Scorsese e mais: os 20 filmes imperdíveis de 2018

Mas, por trás das câmeras a situação era outra: os créditos de produção, roteiro, direção e fotografia são todos masculinos. Além disso, Croft não tinha muito contato com mulheres e o resto do elenco era formado principalmente por homens. Com o novo filme, a produção tinha a oportunidade de mudar esse cenário, mas não o fez. Além do crédito no roteiro para Geneva Robertson-Dworet , a equipe e elenco são formados principalmente por homens. O parceiro de Croft (agora interpretada por Alicia Vikander ) é o ator Daniel Wu e seu antogonista é interpretado por Walton Goggins.

Objetificação

Na nova versão, Lara Croft sai em busca do pai e vai parar numa ilha onde dá de cara com Mathias Vogel (Goggins), além de muitos outros homens. A atriz foi perguntada sobre a falta de mulheres no elenco e admitiu que achou a decisão “questionável”. Porém, de acordo com Geneva, a ideia de ter só homens na ilha partiu da própria Vikander. Em entrevista para o New York Times, a roteirista contou que o roteiro original tinha mulheres e homens na ilha, mas a atriz sugeriu que fossem apenas homens, aumentando o drama por ser a única mulher num lugar cheio de homens desesperados. “Essa é uma conversa interessante”, comentou Robertson-Dworet. “Queremos mais rostos femininos na tela e ponto? Ou é melhor para a jornada da personagem que ela esteja nesse lugar ameaçador somente com homens?”, questionou.

Angelina Jolie sem roupa em cena do primeiro
Divulgação
Angelina Jolie sem roupa em cena do primeiro "Tomb Raider" em 2001

Além disso, em outra ocasião, a roteirista comparou a versão atual com os filmes de Jolie, citando cenas claras de objetificação. Durante a premier de “A Origem” em Los Angeles, a autora comentou: “no primeiro, eu duvido muito que a Angelina Jolie tenha pedido por isso. Tem uma cena em que ela está tomando banho e meio que se esfregando”, comentou. “Nós realmente queríamos nos distanciar disso e focar na Lara quebrando tudo”, esclareceu.

As duas Croft

Alicia Vikander em cena do novo
Divulgação
Alicia Vikander em cena do novo "Tomb Raider"

Estrela em ascensão em Hollywood, Jolie tinha acabado de ganhar um Oscar quando foi escolhida para o papel da heroína. Na época envolta em polêmicas, ela era considerada uma “outsider” na indústria, fazendo as coisas como lhe convinham. Apesar de não ter sido um sucesso de crítica, o filme foi bem o bastante nas bilheterias para ganhar uma continuação. O resto de sua carreira nós já conhecemos: papeis cada vez mais selecionados, e uma carreira intercalada com seu trabalho na direção.

Vikander está em uma rota similar, depois de ganhar também um Oscar. Ela, porém, nunca foi protagonista de um filme e tem a missão de substituir uma personagem muito querida pelos fãs de games. “Eu acho que a maneira como ela era retratada nos anos 90 envelheceu muito”, comentou a atriz durante o painel da CCXP em 2017. “ Tomb Raider : A Origem” estreia nessa quinta-feira (15) em todo o Brasil.

Leia também: Alicia Vikander pospstar e “Jogador nº 1” se destacam em painel fraco da Warner

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.