Tamanho do texto

Alguns longas se prontificam a debater relações abusivas, mas outros as expõe disfarçadas de romance. Confira 10 filmes que retratam o tema

A relação entre um casal é mote de inúmeros filmes. Desde amores impossíveis a problemas no casamento, relação com os filhos e fidelidade , são muitas as ramificações da vida de um casal que já ganharam vida nas telonas. Mas, muitas vezes os filmes tratam de relacionamentos abusivos ou, mesmo sem intenção, demonstram algum tipo de relação abusiva. Por isso, separamos dez filmes que retratam ou demonstram esse tipo de relacionamento:

Leia também: Sete filmes famosos com escândalos de abusos nos bastidores

50 Tons de Cinza

Divulgação
"50 Tons de Cinza"

Esquece os tapas e todo o sadomasoquismo de “50 Tons”. O abuso está em todo o resto que Christian Gray (Jamie Dorman) faz fora da cama. O filme e o livro foram vendidos como uma história de amor, em que esse homem incapaz de amar se apaixona perdidamente por Anastasia (Dakota Johnson) e faz de tudo para não perdê-la. Na prática, ele invade sua casa, aparece onde ela está sem ser convidado, mexe até no seu conteúdo eletrônico e basicamente controla todos os seus passos. Ele chega a comprar a empresa onde ela faz estágio e em meses ela se torna chefe, sem nem mesmo imaginar que ele é dono. Uma relação abusiva disfarçada de amor.

Leia também: Sexo e cinema: como a sétima arte evolui o tema ao longo dos anos

Um dos aspectos mais comentados do filme é a relação sexual, mas ela é consentida e sempre dentro dos limites dos dois. É quando não está transando que Gray controla a vida de Anastasia, tornando-a dependente dele e se mostrando abusivo.

Simplesmente complicado

Simplesmente Complicado
Divulgação
Simplesmente Complicado

Um relacionamento abusivo não precisa necessariamente ser agressivo. No caso dessa comédia estrelada por Meryl Streep , sua personagem é muito bem resolvida profissionalmente, tem dinheiro, os filhos estão com as carreiras encaminhadas e ela planeja uma reforma na casa. Enquanto isso, seu ex-marido (Alec Baldwin), a trocou por uma mulher 20 anos mais nova, com quem tenta ter um filho. Porém, ao vê-la tão bem consigo mesma, o ex não se aguenta e tenta seduzi-la, fazendo-a entrar em uma relação que ela já viveu e já sabe como termina. Ao se sentir mal consigo mesmo, ele tenta rebaixar as realizações dela, transformando-a na “amante”.

Grandes Olhos

Divulgação
"Grandes Olhos"

O que acontece quando um homem casa com uma mulher talentosa, que faz quadros elogiados como ele nunca conseguiu fazer? Isso mesmo, ele assume a identidade do trabalho para si, relegando a esposa a um mero enfeite, enquanto dá entrevistas, vende seus quadros a preços altíssimos e fica com a fama de grande pintor. “ Grandes Olhos ” é baseado na história real Margaret Keane (Amy Adams), que travou uma longa batalha para se desvencilhar de Walter Keane (Christoph Waltz), seus abusos físicos, e ser reconhecida como a real autora dos quadros.

Foi Apenas um Sonho

Foi Apenas Um Sonho
Divulgação
Foi Apenas Um Sonho

O abuso pode ser sutil, psicológico, e corroer uma relação por muitos anos. No caso do casal April (Kate Winslet) e Frank Wheeler ( Leonardo DiCaprio ), o casal começa a vida juntos cheia de planos, mas ao longo do percurso os desejos de April vão ficando de lado, eclipsados pelo sucesso de Frank. Cada vez mais amargurada com o rumo que o casamento tomou, ela desenvolve uma depressão. Enquanto ela questiona sua própria existência, as relações superficiais e as aparências no casamento, o marido se “afunda” no sonho americano, vivendo a “família de margarina” que ela tanto evita se tornar. Em meio a traições e frustrações, ela vive um casamento que descobre odiar, e não sabe como sair disso.

Dormindo com o Inimigo

Divulgação
"Dormindo com o inimigo"

Esse cenário mostra um caso mais clássico de abuso, onde o homem se apresenta como o parceiro ideal, até o casamento. Laura Burney ( Julia Roberts ) passa por isso com seu marido Martin Burney (Patrick Bergin), que se mostra violento e abusivo. Tentando se livrar do comportamento do marido, ela chega a fingir a própria morte, mas não consegue escapar do seu passado, quando o marido descobre a verdade e começa a caçá-la.

Um Limite Entre Nós

Um Limite Entre Nós
Divulgação
Um Limite Entre Nós

Nos anos 1950, um casal luta para pagar as contas e sustentar sua família. Enquanto o marido trabalha como lixeiro, a esposa tem a função de cuidar da casa, dos filhos, da comida, e dos afazeres domésticos no geral. Troy ( Denzel Washington ) sabe ser charmoso e divertido, mas também é um homem amargurado e violento. Em seu machismo enraizado, ele não deixa a esposa ter opinião própria sobre a criação do filho e da família, e ainda se relaciona com uma pessoa fora do casamento, engravidando-a. Essa submissão da esposa é tão grande, que ela acaba criando o filho que o marido teve fora do casamento. Baseada em uma peça, a história é extremamente delicada, e mostra o sofrimento de Rose (Viola Davis) para lidar com o marido.

Leia também: Almodóvar, Von Trier e os diretores que trabalham a sexualidade em seus filmes

Crepúsculo

Divulgação
"Crepúsculo"

 Vamos combinar uma coisa? Um homem invadindo o quarto de uma mulher para ver ela dormir não é romântico. Edward (Robert Pattinson) é tão obcecado com Bella ( Kristen Stewart ) que chega a fazer isso, além de segui-la pela cidade. A relação entre os dois é tão tóxica, que se torna perigosa ao longo da saga. Depois de abandoná-la, achando que ela viverá melhor sem ele, Bella começa a se colocar em diversas situações de risco, pois só assim consegue vê-lo.

Retratos de uma Mulher

Retratos de Uma Mulher
Divulgação
Retratos de Uma Mulher

Uma mulher com poder assusta muita gente. Uma mulher com poder, dinheiro e opção é praticamente um ímã de embuste. Isabel Archer ( Nicole Kidman ) é uma jovem detentora de uma bela fortuna, que tenta não se deixar enganar pelas pessoas que estão interessadas pelo seu dinheiro, inclusive muitos pretendentes. É assim que ela conhece Gilbert Osmond (John Malcovich) e acaba se casando com ele. Mas, o que ela descobrirá, é que esse homem está só interessado em seu dinheiro, armando um plano para eliminá-la.

O Último Tango em Paris

O Último Tango em Paris
Divulgação
O Último Tango em Paris

O filme por si só já é rodeado de polêmicas. Uma das cenas mais marcantes envolve sexo forçado dos protagonistas com o uso de manteiga como lubrificante. Por trás das telas, a atriz Maria Schneider chegou a declarar que não sabia da cena e se revoltou com Marlon Brando e o diretor Bernardo Bertolucci . Já a história do filme mostra a relação abusiva entre um improvável casal. Ela, jovem francesa em um momento em que tenta se encontrar, cruza o caminho de um americano e os dois iniciam uma relação sexual. Em meio a jogos emocionais, ele abusa dela física e psicologicamente e chega até a persegui-la depois que ela decide terminar a relação. O fim é trágico e resultado de um comportamento tóxico.

A Bela e a Fera

Divulgação
"A Bela e a Fera"

A discussão em torno de “ A Bela e a Fera ” e a Síndrome de Estocolmo voltou a ganhar força em 2017, quando a versão live action do desenho foi lançada. Com Emma Watson no papel da princesa, o filme gerou debate sobre a relação abusiva  da fera e dela. Afinal, ele a tranca no castelo e a mantém como prisioneira, forçando-a a usar as roupas que ele quer, fazendo refeições com ele e simplesmente a obrigando a ficar em sua companhia. No final, ela se apaixona por ele e ele volta a ser um príncipe mas, se pensarmos de maneira prática, quem se casa com seu sequestrador?

Leia também: Jovem quer clássicos com roupagem moderna, diz produtor de "A Bela e a Fera"