Tamanho do texto

A banda faz a abertura da turnê do Queens Of The Stone Age e Foo Fighters, além de participar do Lollapalooza; além disso, revela novidades por aí

Formada em 2014 em São Paulo, a banda Ego Kill Talent já alçou grandes voos em poucos anos. Com Jean Dolabella (bateria, guitarra), Jonathan Correa (vocais), Niper Boaventura (guitarra, baixo), Raphael Miranda (bateria, baixo) e Theo Van Der Loo (guitarra, baixo), o grupo ressurge com garra no cenário da música brasileira trazendo à tona as guitarras pesadas e a bateria assertiva do rock nacional. O sucesso rendeu ao grupo dois grandes eventos em menos de um mês: a abertura do show do Foo Fighters e Queens Of The Stone Age, que roda por Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre, além da participação em um dos maiores festivais de música de São Paulo, o Lollapalooza , onde se apresentará no fim de março ao lado de bandas como Pearl Jam e The National.

Ego Kill Talent também tem uma turnê no verão europeu vindo por aí
Reprodução
Ego Kill Talent também tem uma turnê no verão europeu vindo por aí

Leia também: Foo Fighters põe rock à prova e faz show impecável em São Paulo

“Sem dúvida o mundo está se movendo muito depressa, e o sentimento disso tudo, para nós que estamos nesse barco, é de velocidade mesmo, e estamos muito felizes com isso. Nós lançamos o disco completo há um ano, e a repercussão está sendo incrível”, afirma o músico Theo Van Der Loo ao iG Gente. O disco homônimo, “ Ego Kill Talent ”, lançado no ano passado, já ultrapassou mais de 10 milhões de cliques nos serviços de streaming e agora a banda se prepara para uma turnê no verão europeu. “Estamos caminhando nas nuvens e trabalhando muito, pois queremos aproveitar o máximo possível tudo o que está acontecendo”, completa.

Leia também: Por onde andam? Bandas brasileiras que sumiram

O sucesso, entretanto, pode ser explicado também pela trajetória dos músicos, que uniram forças após participarem de projetos de sucesso do cenário musical brasileiro, como Sepultura e Reação em Cadeia, mas como revela Van Der Loo, o trabalho atual se expressa como um projeto bem distinto. “A principal diferença, e posso dizer isso por todos os integrantes, é a vibe da banda, e o relacionamento entre todos os integrantes. Todos nós chegamos bem maduros, então há mais compreensão e um valor maior por parte da amizade. Com isso o artístico flui de um jeito mais natural, saudável e real”, afirma.

Leia também: Karol Conka fala de sexo oral, maconha e revela: "Gosto de fumar"

Compor as canções, por sua vez, é “bem orgânico”, como afirma o músico. “Nós trabalhamos como se fossemos uma entidade formada por cinco pessoas, o que gera uma troca grande de ideias e sugestões. É como se entrássemos numa zona criativa, onde o interesse é resultado da música que vai surgir, e não quem trouxe a ideia. E aí buscamos achar algo que nos emocione, é esse o sentimento”, conta. Segundo o guitarrista e baixista, a intenção ao escrever uma canção é sempre criar algo que “arrepie” não só os próprios integrantes da banda, mas também tenha potencial de tocar o público.

Sem freio

O desejo de produções emocionantes se concretizaram recentemente com o clipe de Last Ride , lançado no final de fevereiro. Apesar de ter sido gravado no Atacama com uma super produção, Van Der Loo afirma que nem sempre é necessário atravessar o continente para ter bons resultados. “Achamos que o rock precisa de coisas ‘do caralho’, sim. Independente do tamanho. Às vezes não precisa disso tudo, depende apenas de uma boa ideia feita com cuidado, carinho e dedicação. E aí você tem resultados incríveis feitos de maneira simples, mas que foram feitos com muita paixão, verdade e esforço”, comenta, citando também outras bandas brasileiras que nutre admiração, como Far From Alaska e Projeto46. “Tudo quando é bem feito, que tem uma dedicação artística e uma verdade, toca as pessoas”.

Sem freio, a banda já lançou dois EPs e agora se prepara para mais novidades em 2018: um single e uma música nova, ainda sem data específica para lançamento. Mas, enquanto as novas produções não chegam, Van Der Loo já antecipa o que os fãs podem esperar para os shows no próximo mês: “estamos com sangue no olho para subir nos palcos, tocar e dar de tudo da gente”. Com uma playlist construída com todo o cuidado pelos integrantes do Ego Kill Talent, o músico revela: “Vamos entregar tudo o que pudermos, deixaremos nossa alma nos palcos”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.