Tamanho do texto

A canção do funkeiro MC Diguinho é uma das músicas que prometem esbaldar o carnaval brasileiro durante fevereiro de 2018; confira polêmica

O carnaval de 2018 já está chegando e diversos artistas já estão apostando tudo para conquistar o público com os seus hits desta temporada. Entre uma canção e outra que tem chamado atenção, o funkeiro MC Diguinho deu o que falar com o hit Só Surubinha de Leve , tendo sido alvo de diversas críticas na internet por conta da sua letra que está sendo acusada de incentivar a cultura do estupro.

O funk de Mc Diguinho foi alvo de diversas críticas nas redes sociais
Reprodução
O funk de Mc Diguinho foi alvo de diversas críticas nas redes sociais

Leia também: Nova estrela do funk, Jojo Todynho esbanja autoestima e tem fãs famosos

O funk está disponível desde o dia 14 de dezembro no YouTube, mas só ganhou notoriedade depois de começar a integrar as playlists de mais tocadas no Brasil na plataforma de streaming do Spotify. O refrão da canção possui um trecho que diz “taca a bebida depois taca a pica e abandona na rua”. Nas redes sociais, a paraibana Yasmin Formiga publicou uma crítica à canção que atingiu mais de 124 mil compartilhamentos. “Sua música ajuda para que as raízes da cultura do estupro se estendam. Sua música aumenta a misoginia. Sua música aumenta os dados de feminicídio. Sua música machuca um ser humano. Sua música gera um trauma. Sua música gera a próxima desculpa. Sua música tira mais uma. Sua música é baixa ao ponto de me tornar um objeto despejado na rua”, escreveu a internauta publicando uma fotografia com o trecho da música e o rosto maquiado com sangue e roxos.

Leia também: Jojo que se cuide! Joana Balaguer condena viralização de Que Tiro Foi Esse

Mc Diguinho, cantor de
Reprodução
Mc Diguinho, cantor de "Só Surubinha de Leve"

O músico, por sua vez, ainda não se pronunciou sobre a polêmica, mas na sua página oficial diversos usuários criticaram a canção do cantor. “Você não tem vergonha na cara, quer ganhar dinheiro fazendo apologia ao estupro”, escreveu uma usuária nos comentários de um vídeo postado pelo cantor.

Leia também: Do baile às baladas, o funk atravessa gerações e conquistas novos seguidores

Polêmicas do carnaval

Este não é o primeiro ano que as músicas que são conhecidas como apostas do funk de carnaval ficam sob os holofotes por possuírem trechos pra lá de polêmicos. A canção do funkeiro MC G15 em 2017, Deu Onda , também foi alvo de diversos debates por possuir em seu refrão o trecho “meu p** te ama”. A música teve mais tarde uma nova versão, em que o trecho foi substituído por “o pai te ama”.  

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.