Tamanho do texto

"Eu não vim aqui porque me indicaram a alguma coisa, mas pelo momento que vivemos", disse Michelle Williams no tapete vermelho do Globo de Ouro

O tapete vermelho da 75ª edição do Globo de Ouro prometia ser radicalmente diferente do usual em termos de premiações de cinema e música e foi o que se viu neste domingo (7) em Los Angeles nos EUA. 

Leia também: Confira as principais apostas do iG Gente para a cultura pop em 2018

Meryl Streep acompanhada de Ai- Jen Poo, diretora da organização que defende os interesses dos trabalhadores domésticos, no tapete vermelho do Globo de Ouro
Reprodução/E!
Meryl Streep acompanhada de Ai- Jen Poo, diretora da organização que defende os interesses dos trabalhadores domésticos, no tapete vermelho do Globo de Ouro

Atrizes, atores, jornalistas, produtores e outros tantos funcionários atuando na transmissão da cerimônia do Globo de Ouro vestiram preto e deixaram o tapete vermelho mais monocromático. Houve, claro, algumas exceções, mas o preto foi dominante. Outra mudança radical em relação a anos anteriores foi o tema dos questionamentos endereçados às atrizes. Ao invés dos tradicionais "Quem você está vestindo?" e "Quanto tempo demorou para se arrumar?", perguntas sobre o clima em Hollywood, mudanças possíveis e a importância de movimentos como #metoo e "Time´s Up".

Leia também: Mulheres protagonistas, protesto e mais: o que esperar do Globo de Ouro 2018

Alisson Brie da série
Reprodução/E! News
Alisson Brie da série "Glow"

"Hoje não é sobre Hollywood é sobre todas as mulheres que trabalham na indústria do entretenimento”, disse Debra Messing que recentemente voltou aos holofotes com a nova temporada de "Will & Grace", que concorre a melhor série de comédia. “Eu estou de preto para honrar todas as pessoas que tiveram a coragem de falar a respeito do assédio sexual. Estou de preto também para combater a disparidade salarial. Temos que exigir os mesmos direitos”.  

"Esse problema é sistêmico", disse Emma Watson. "Muitas jovens atrizes vivenciam isso. Elas tem uma história a respeito. Estamos apenas arranhando a superfície disso", lamentou Emma Watson. Michelle Williams, que concorre ao prêmio de atriz dramática em cinema por "Todo o Dinheiro do Mundo" disse que não compareceu à cerimônia por estar indicada, mas para contribuir cokm sua voz para este momento "singular" que Hollywood atravessa.

Já a atriz Meryl Streep , que concorre ao prêmio de atriz dramática em cinema por "The Post: Guerra Secreta" foi acompanhada  da ativista Ai-Jen Poo que defende os direitos dos trabalhadores domésticos. Streep não foi a única. Muitos atores e atrizes resolveram levar como acompanhantes ativistas na expectativa de chamar a atenção para suas causas. “Espero que as pessoas vejam a nossa união. Todas têm direito a um ambiente de trabalho digno. Quero que as pessoas se juntem a nós, a este movimento tão importante", disse Poo sobre o "Time´s UP".

Emma Watson no tapete vermelho do Globo de Ouro
Reprodução/E! Channel
Emma Watson no tapete vermelho do Globo de Ouro

Leia também: Cineasta ganhador do Oscar é acusado de assédio sexual por diversas mulheres

"Eu acho que as pessoas estão mais a par do que está acontecendo", observou Streep. "Das circunstâncias que levam ao abuso, ao assédio”.  Oito vezes premiada com o Globo de Ouro, a atriz comemorou a realização de um tapete vermelho diferente. “A gente quer mudar isso. Nós nos sentimos responsáveis. Temos que agir para mudar esse panorama”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.