Tamanho do texto

Participações especiais de Ed Sheeran, Kendrick Lamar, Rihanna e Future dão o tom de disco cheio de energia e groove que fecha 2017 com irreverência

Os singles Lemon , com Rihanna, e 1000 , com o rapper Future , já prometiam um disco poderoso e a volta do N.E.R.D, banda formada por Pharrell Williams , Chad Hugo e Shay Haley, não decepciona. Pelo contrário, “No_One Ever Really Dies”, como o acrônimo que batiza a banda, é um disco cheio de groove, experiências bem-sucedidas com sintetizadores, alguma fúria, um pouco de funk e a potência de participações especiais de peso. Ed Sheeran, Guggi Mane, M.I.A e Kendrick Lamar são destaques.

Leia também: Disney compra a Fox em acordo bilionário e muda regras do jogo em Hollywood

N.E.R.D
Divulgação
N.E.R.D

“A verdade vai te libertar, mas antes vai te emputecer”

No apagar das luzes de 2017, o N.E.R.D apresenta um dos álbuns mais irreverentes do ano. O disco é sensual e político, sem deixar de ser jovial e contestador, em termos conceituais, e experimental do ponto de vista estético. As melodias e a sonoridade se alternam como protagonistas e algumas faixas tiram o fôlego do ouviente.

Leia também: U2 se redime em novo álbum, que mostra banda sem medo de errar

O disco começa intenso com Lemon , música cheia de ginga que aborda a segregação racial de uma maneira frontal e inventiva como só o rap é capaz de proporcionar. Deep Down Body Thurst nos exorta que “não conseguiremos escapar”. Voila , com Guggi Mane, é o primeiro truque de mágica do disco. Se apresenta diferente a cada vez que voltamos a ela. Uma faixa em que o produtor Pharell reclama o protagonismo. A familiaridade com a faixa nos remete a Happy, maior hit da carreira de sua carreira.

Capa do novo álbum do N.E.R.D
Divulgação
Capa do novo álbum do N.E.R.D

O primeiro clímax do álbum chega com 1000 , a porrada com participação de Future. “Caralho, está funcionando”, canta Pharell ciente de que o disco está fluindo maravilhosamente bem. A faixa é sobre consumismo e há tudo que pode soar como consumismo nela. O Auto –Tune talvez nunca tenha sido tão bem usado antes e há Future em grande momento.

Leia também: "Harry Styles", "Damn." e os melhores discos internacionais de 2017

Daí em diante o disco segue em uma crescente de ambição estética e melódica que dá ao N.E.R.D seu melhor momento enquanto grupo. Don´t Do it , Lighting, Fire, Magic, Prayer e Lifting You são outros grandes destaques de um álbum que parece incumbido de fazer da histeria uma forma de arte.

    Leia tudo sobre: Rihanna
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.