Tamanho do texto

Representando apenas 10% dos cineastas, mulheres pedem cotas de gênero para maior diversidade nas produções; entenda o caso

Algumas das maiores produções de TV da atualidade, como " American Horror Story ", " The Americans " e " Scandal ", contam com cineastas mulheres . Representando apenas 10% das profissionais em Hollywood, elas pediram cotas de gênero para promover maior diversidade nas equipes de produção - predominantemente masculinas.

Leia também: Cannes 2017 privilegia filmes protagonizados e dirigidos por mulheres

Reprodução/Twitter
Chefiada por Ryan Murphy, iniciativa do canal FX aumentou para 50% o número de mulheres na direção do canal, incluindo na nova temporada de "American Horror Story"
Reprodução/Twitter

"Nunca quero ter que chegar a dizer que fui contratada por ser mulher, mas talvez neste momento haja a necessidade de cotas", disse Maggie Kiley, que já dirigiu episódios de "American Horror Story" e "Scream Queens". Kiley esteve presente em uma coletiva realizada pelo canal FX no encontro da Associação dos Críticos de Televisão americanos (TCA), na última quarta-feira (09), e que contou com a participação de diversas  cineastas .

Leia também: Quebrando tudo! Mulheres aumentaram protagonismo no cinema em 2016

"Se tiver que ser assim, que seja assim", completou Rachel Goldberg, que também dirigiu um episódio da nova temporada de AHS, durante uma roda de conversa que reuniu sete cineastas mulheres.

De acordo com o relatório anual sobre a diversidade em Hollywood elaborado pela Universidade da Califórnia (UCLA) neste ano, as minorias representam um total de 40% da população norte-americana. Porém, sua representatividade nas equipes de produção audiovisual é de apenas 10%.

O mesmo acontece com as mulheres - que representam metade da população dos Estados Unidos -, mas ocupam somente 10% das funções por trás das câmeras. Reunidas no painel da FX, as mulheres contaram alguns dos obstáculos que têm enfrentado para conseguir comandar uma produção - enquanto aos homens basta ter produzido um curta-metragem.

"Não somos iniciantes [...]. Apenas precisamos que nos deem uma oportunidade", insistiu Rachel Goldberg, enquanto homenageava o produtor de séries da FX Ryan Murphy, criador de AHS. "Me confiou um episódio de 'American Horror Story' e mudou a minha vida", afirmou.

Iniciativa

No ano passado, a emissora e Murphy lançaram uma iniciativa intitulada "Half Initiative", com o objetivo de conseguir que pelo menos metade dos produtores do canal seja de mulheres ou de pessoas que representem as minorias. Desde o começo do projeto, o número de diretoras no FX passou de 12% em 2015 para 51% em 2016.

Leia também: Mulheres reclamam protagonismo no cinema de ação e podem mudar paradigma

De acordo com a cineasta Meera Menon, que dirige episódios de outra aposta da emissora, a novata "Snowfall", as cotas são "necessárias para que as mulheres possam obter um primeiro emprego como produtoras e também para mudar as mentalidades".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.