Tamanho do texto

Série com 30 matérias sobre literatura será publicada até o fim do mês

 É chato começar qualquer texto, ainda mais um alinhado aos ditames do fazer jornalístico, com o clichê “um belo dia”, mas peço licença ao leitor pois um belo dia propus a minha equipe que já havia feito dois especiais de cultura em 2017, sobre o Status da Cultura no Brasil , e sobre a relação da arte com o sexo , fazer um especial de literatura.

Leia também: Pedagógico, “Vidas Trans – A Coragem de Existir” dá cativante aula de humanidade

O iG publica a partir desta sexta-feira (7) um especial de Literatura
Reprodução/Twitter
O iG publica a partir desta sexta-feira (7) um especial de Literatura

Quem quer falar, ou ler, sobre literatura em pleno império da pós-verdade? Ainda mais na internet? Mas com a Flip à esquina, me enchi de entusiasmo e, sortudo que sou, vi as sete pessoas que trabalham comigo diariamente compartilharem dele.

Leia também: Bienal do Livro de São Paulo acontecerá em agosto de 2018

A partir de hoje o iG publica uma série especial com 30 matérias sobre literatura. Entre reportagens, listas inusitadas e inflexões propostas pela cabeça de gente que gosta de pensar a cultura em seus extremos e seus entornos.

Do boom dos livros religiosos no País à eterna discussão a respeito das biografias não autorizadas. A estagiária Karine Seimoha, com alma e disposição de veterana, foi a campo investigar esses fenômenos do mercado editorial.  Por falar em fenômeno, um muito interessante diz respeito à simbiose entre música e literatura, escancarada pelo Nobel outorgado a Bob Dylan no ano passado.  Heloisa Cavalcanti foi entender o que exatamente está acontecendo.

Ela também é responsável por algumas listas interessantes que o leitor irá encontrar em nosso especial, como aquela que reúne livros que explicam – ou pelo menos tentam – a crise moral, ética política e econômica sem precedentes que nosso País atravessa. Ou, com menos intensidade, dez poetas que merecem ser lidos.

Flip e mais

A Flip vem aí
Divulgação/ Flip
A Flip vem aí

Há pautas aqui, claro, que se encontraria em qualquer especial análogo – se ele pudesse ser encontrado. Mas falar de Machado de Assis, Gabriel Garcia Marquez, livros-reportagens obrigatórios, thrillers nórdicos recomendáveis e autoras lésbicas (!) não representam nenhuma novidade. Mas empregamos um olhar que busca a oxigenação constante. Essa é uma característica que permeia todo o especial que se debruça, ainda, sobre a Flip – que ocorre entre os dias 26 e 30 de julho.

As principais tendências da edição deste ano, bem como a consolidação da feira de Paraty no calendário internacional, abrigando cada vez mais escritores e pensadores de cantos diversos do Globo, foram elementos escrutinados com contagiante devoção por Verônica Maluf. Já Bruna Cambraia dá a letra do porquê Lima Barreto merece, e muito, ser o autor homenageado desta edição. Ela também foi atrás de uma pergunta que incomoda muita gente: o brasileiro não gosta de ler ou é intriga da oposição?

O jornalismo, que vive momento de fragilidade com ascensão da indústria das notícias falsas, e sua vertente literária também são foco do especial.

Um especial de literatura plural que se pretende informativo e reflexivo será levado ao leitor do iG diariamente até o fim do mês. Uma baliza valiosa para os entusiastas da cultura e mais uma demonstração de que é possível encontrar jornalismo de qualidade na internet.