Tamanho do texto

Desde que surgiu, o Homem-Aranha foi um sucesso inexplicável e em pouco tempo virou o herói mais icônico da Marvel junto ao público de HQs

Há 55 anos nascia o super-herói que todos queriam ver, mas ninguém sabia disso ainda. Quando Stan Lee apresentou o conceito do Homem-Aranha, foi desacreditado porque, afinal, quem compraria um quadrinho sobre um adolescente meio fracassado que, por acaso, é picado por um aranha em uma viagem da escola e ganha poderes que não impressionavam? Sucesso improvável, logo o herói tornou-se um dos maiores sucessos da Marvel e o preferido do público.

Leia também: "Homem-Aranha: De Volta ao Lar" é o melhor filme do herói até agora

Criado há 55 anos, Homem-Aranha tornou-se o herói mais icônico da Marvel e manteve-se como unanimidade
Divulgação
Criado há 55 anos, Homem-Aranha tornou-se o herói mais icônico da Marvel e manteve-se como unanimidade


Herói real

A verdade é que, se não fosse pelo acidente com a aranha radioativa, o Homem-Aranha seria apenas mais um adolescente tal qual qualquer outro: meio nerd, não se dava bem com as garotas, vivia com seus tios em Nova York, ou seja, absolutamente normal – para não dizer “entediante”, mas foi exatamente isso que o transformou no fenômeno pop do universo dos quadrinhos. Diferente do Batman ou do Superman , que eram as autoridades em matéria de heróis na década de 1960, o Homem-Aranha representava alguém de verdade, alguém que os fãs poderiam olhar e se encontrar dentro do personagem.

Leia também: Chris Evans explica como Tom Holland virou o novo Homem-Aranha

Essa foi a sacada de mestre de Stan Lee quando decidiu criar o herói em 1962. Naquele momento era totalmente impensável que um protagonista fosse exatamente como qualquer pessoa pudesse ser, ou seja, ele precisava ser aquilo que os fãs aspiravam ser, não aquilo que já eram. Em uma entrevista em 2002 para a ABC, Stan Lee contou que de cara Martin Goodman, editor da Marvel, lhe disse que seria impossível emplacar o Homem-Aranha por três motivos simples: ninguém gostava de aranhas, adolescente não poderiam ser heróis e que não havia atrativo naquele personagem. Mesmo assim, Goodman deu uma chance para a ideia.

Lucrativo

''Homem-Aranha: De Volta ao Lar'' marca mais uma passagem do herói pelo cinema, provando sua força junto ao público
Divulgação
''Homem-Aranha: De Volta ao Lar'' marca mais uma passagem do herói pelo cinema, provando sua força junto ao público

E que chance não foi essa! Menos de um ano após debutar como parte do “Amazing Fantasy”, o Homem-Aranha já era solo e tinha sua própria HQ. Nos anos subsequentes as histórias do aranha tornaram-se as preferidas do público e chegaram a bater recordes de venda da Marvel . Em 2014, como reportou o The Hollywood Reporter, o Homem-Aranha era o herói mais lucrativo do mundo, faturando mais do que Os Vingadores, o Batman e o Superman – juntos. Parte expressiva dessa renda era fruto de produtos licenciados do herói.

Leia também: Dos quadrinhos para o cinema: os 25 melhores filmes de heróis já feitos

Gente como a gente

Se comparado com os outros grandes heróis da mesma geração, o Homem-Aranha foi o primeiro a ter uma dimensão diferente em seu desenvolvimento. É verdade que o Batman, por exemplo, tem um pano de fundo trágico para sua história – a morte de seus pais – contudo, ele é movido sobretudo por um desejo de vingança. O Homem-Aranha ganhou, de fato, seu espaço por apresentar densidade: para ele a vida não se resumia a lutar contra o mal, ansiar por vingança ou proteger a raça humana da destruição suprema. Ao contrário disso, o Homem-Aranha se preocupava em vencer o crime, mas também se preocupava com como pagaria seu aluguel.