Tamanho do texto

Série estreia no Fox Premium neste sábado (29) e consagra definitivamente a TV como palco de grandes narrativas que outrora só tinham vez no cinema

Uma das séries mais comentadas e elogiadas da temporada estreia neste sábado (29), às 22h,  no Fox Premium. Trata-se de “The Young Pope”, minissérie em dez episódios com uma hora cada um, produzida e dirigida pelo italiano Paolo Sorrentino , vencedor do Oscar de filme estrangeiro por “A Grande Beleza” (2013) e responsável por obras fascinantes como “Aqui é o Meu Lugar” (2011) e “A Juventude” (2015).

Leia também: "The Walking Dead" terá dois novos personagens na próxima temporada

Intrigas políticas, vaidade e fé: The Young Pope é um prato cheio para fãs de uma boa narrativa
Divulgação
Intrigas políticas, vaidade e fé: The Young Pope é um prato cheio para fãs de uma boa narrativa

A produção narra a controversa história do início do pontifício do papa Pío XIII, o primeiro pontífice americano e o mais jovem na história. Logo no início do primeiro episódio, o novo papa se dirige para a multidão acampada na basílica de São Pedro no Vaticano para seu primeiro pronunciamento como o líder da igreja católica. E para o choque de todos os presentes, o papa defende o aborto, a união homossexual entre outros tabus. Pío acorda. Era um sonho. Era, também, uma demonstração do que esperar de “The Young Pope” .

Leia também: Astros de "Game Of Thrones" recebem o salário mais alto da história da TV

Sorrentino professa a narrativa das minúcias e a série propõe um olhar problematizante para a igreja. O fato de ser realizada por um italiano e amparada em um papa americano, algo que para muitos europeus por si só já pode ser considerado sacrilégio, já aumenta a voltagem da produção. Pío é jovem , mas vaidoso e talvez não acredite em Deus. Quer paradigma maior do que esse no centro de uma igreja tradicional e cheia de vícios?

Jude Law em cena de The Young Pope
Divulgação
Jude Law em cena de The Young Pope

É uma proposta corajosa e desenvolvida com vigor e inteligência por Sorrentino que achou no britânico Jude Law, contendo candidamente seu sotaque, o parceiro ideal. Law dá viço a seu papa, uma figura aparentemente progressista, mas que se revela extremamente centralizador e arbitrário. O personagem é abordado pelo ator com requinte e curiosidade. É um trabalho cheio de camadas que encontra nas excelentes direção de arte e fotografia o amparo técnico necessário para distinguir a série de suas congêneres.

Leia também: Neil Gaiman vai além do universo dos super-heróis em "Mitologia Nórdica"

“The Young Pope” tem o reforço de um elenco internacional de pedigree. Além de Diane Keaton, Javier Cámara (“Fale com Ela”), Silvio Orlando (“O Crocodilo”), James Cromwell (“A Rainha”), Cécile de France (“O Garoto de Bicicleta”) e Ludivine Sagnier (“Swimming Pool – À Beira da Piscina”) completam o robusto e aprazível elenco.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.