Tamanho do texto

O festival chega em sua 22ª edição trazendo estreias de filmes que abordam temas bastante atuais, como abuso sexual, guerra na síria e crise imigratória

O festival de documentários É Tudo Verdade chega na sua 22ª edição neste ano trazendo premiados filmes a serem exibidos nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo. Os cinemas de ambas as cidades estarão recebendo os mais variados trabalhos entre os dias 19 e 30 de abril. Serão 82 títulos de 30 países diferentes, sendo 16 estreias mundiais. Todas as sessões serão gratuitas e obras destacadas também farão parte do circuito de itinerância em Porto Alegre e Brasília.

Entre os documentários de abertura, há
Divulgação
Entre os documentários de abertura, há "Cidade de Fantasmas" em São Paulo que tem como cenário a guerra da Síria


Leia também: Documentário indicado ao Oscar, “Eu Não Sou Seu Negro” desnuda América racista

Nas sessões de abertura, os documentários “Cidade de Fantasmas” e “Eu, Meu Pai e os Cariocas – 70 Anos de Música no Brasil” serão exibidos na capital paulista e carioca, respectivamente. No primeiro, Matthew Heineman revela as atrocidades do Estado Islâmico na Síria acompanhando o os jornalistas ativistas do grupo Raqqais Being Slaughtered Silently (RBSS – Raqqa Está Sendo Assassinada Silenciosamente) que arriscam a vida para registrar esta guerra. Já o Rio de Janeiro terá a história d’Os Cariocas contada na telona, dirigido por Lúcia Veríssimo, filha de um dos principais expoentes do grupo, Severino Filho (1928-2016).

Leia também: Documentário sobre brasileiro executado na Indonésia emociona plateia em Berlim

Divulgação
"Mexeu Com Uma, Mexeu Com Todas" recolhe relatos de sobreviventes de abuso sexual

Além disso, pela primeira vez na programação o festival apresentará a Competição de Longas Latino-Americanos com sete produções. Já na Competição Brasileira de Longas e Médias Metragens sete produções inéditas nacionais foram selecionadas, enquanto na de Curta-Metragem, dos nove finalistas, seis documentários são inéditos. Entre os títulos, há o filme de Sandra Werneck “Mexeu com Uma, Mexeu com Todas”, que reúne depoimentos de vítimas e sobreviventes de abusos sexuais e “Se Você Contar”, de Roberta Fernandes, que trabalha a mesma temática segundo o dispositivo do documentário “Jogo de Cena” de Eduardo Coutinho.

Leia também: "Holocausto Brasileiro" mostra barbárie em hospital psiquiátrico em Minas Gerais

Há também as competições internacionais de Curtas e Longas Metragens, que contam com a première internacional de “Spielfeld”, que revela a crise imigratória na cidade austríaca no inverno de 2015 e também a estreia de “No Exílio: Um Filme de Família”, um longa que resgata a memória da família de Juan Francisco Urrusti, sobrevivente da Guerra Civil Espanhola. Os vencedores das competições de curta-metragem qualificam-se para serem examinados pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood com o intuito de concorrer a uma vaga na disputa do Oscar de melhor curta documental.

É Tudo Verdade

O festival É Tudo Verdade, que entra na sua 22ª edição, foi fundado e é dirigido pelo crítico Amir Labaki e traz o melhor da produção de documentários do mundo.  Além de revelar grandes estreias deste universo, o festival também é responsável por retrospectivas e homenagens. Neste ano, a retrospectiva no âmbito internacional destacará marcos da produção soviética e, no nacional, celebrará a obra de Sergio Muniz. Além disso, os cineastas Alexandre O. Philippe, Andrea Tonacci, Bill Morrison, Jean Rouch, João Moreira Salles e Raed Andoni serão homenageados em sessões especiais durante o festival. A programação completa pode ser encontrada no site oficial do evento. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.