Tamanho do texto

Em entrevista ao iG, cantor fala sobre "Justo Agora", seu mais recente disco, e momento da música: "há uma necessidade das pessoas baterem de frente"

Pouco mais de um ano depois de lançar seu álbum de estreia, André Whoong soltou em outubro do ano passado o disco Justo Agora , o segundo de sua carreira, que foi distribuído digitalmente pela Warner Music Brasil.

Leia mais: Silva conquista cada vez mais fãs e lança álbum com músicas de Marisa Monte

André Whoong lançou o álbum
Divulgação/Flavio Juliano
André Whoong lançou o álbum "Justo Agora" no ano passado

As músicas do novo álbum foram compostas no primeiro semestre de 2016. Apesar de ter lançado o disco de estreia há pouco tempo, André Whoong sentiu que o segundo semestre do ano era o momento certo para sair com o novo trabalho. "Se eu não lançasse agora, não lançaria mais, as músicas não fariam tanto sentido. O nome vem disso. Justo Agora , vou lançar agora", contou o cantor em entrevista por telefone ao iG .

Apesar da proximidade entre os dois trabalhos, André acredita que os discos têm bastante diferenças entre si. "Mudou bastante a estética das músicas. Estava dando privilégio para uma estética lúdica, tinha sons mais viajeiros. As letras foram de improviso, era num vômito", disse.

Uma das músicas que mais chamam atenção no novo trabalho do paulistano é  Sono de Você , que fala sobre religião e envolve até o diabo. O compositor conta que essa faixa surgiu em um sonho. "Eu sonhei mesmo com o diabo e ele dizia 'André, tenho sono de você'", explicou. "Acordei e fiquei pensando no que aquilo significava. Podia ser algo bom, ele tem sono de mim, é indiferente a mim", continuou.

Em  Justo Agora , André também repete a parceria com Tiê. "Nós nos damos muito bem juntos", explicou. Foi graças a essa parceria que o cantor tocou na abertura do show do Coldplay em São Paulo, comandado pela artista paulistana. "Foi incrível, insano. Tinha umas 25 mil pessoas", lembrou. Ao lado da cantora, ele tocou  Botas , de seu primeiro disco.

Leia mais: Warpaint espera que governo Trump faça as músicas voltarem a ter alma

Batendo de frente

Além da clara afinidade com Tiê, André vê com bons olhos o atual momento da música brasileira. "A importância das pessoas se expressarem está sendo muito forte", comentou. "Essa nova frente de pessoas transgênero é muito importante", disse, fazendo menção a Liniker e As Bahias e a Cozinha Mineira .

O cantor comemora o fato de que os artistas estão usando sua voz para o combate. "Há uma necessidade das pessoas baterem de frente e têm pessoas muito criativas e capacitadas para fazer isso", disse.

Leia mais: Faixa a faixa: Ego Kill Talent explica as músicas de seu primeiro álbum

Inquieto, André Whoong ainda deve participar de dois filmes neste ano e volta aos palcos paulistanos em 4 de março, no Breve. A agenda de lançamentos do cantor também pode ser movimentada nos próximos meses. "Não vou me prender ao padrão", prometeu.

    Leia tudo sobre: músicas