Maria foi expulsa do BBB após caso de agressão
Reprodução/TV Globo
Maria foi expulsa do BBB após caso de agressão

Aconteceu com atraso, mas aconteceu:  Maria finalmente foi expulsa do "Big Brother Brasil 22" após atingir Natália na cabeça com um balde. Em comunicado emitido na tarde desta terça-feira (15), a Globo afirmou que “após análise das imagens da dinâmica do jogo da discórdia, de ontem, dia 14, constatou-se uma agressão da participante a Natália e, seguindo as regras, a atriz e cantora foi desclassificada”. 

O desfecho do caso não apaga o erro na condução do episódio durante o programa ao vivo . Tanta demora para fazer o óbvio dá margem para nos questionarmos se a suposta análise das imagens se deu porque era o que precisava ser feito ou se tem a ver com a pressão feita por parte do público diretamente com patrocinadores do BBB.

Independentemente das razões da emissora, o fato é que Maria precisava ser expulsa. Isso, no entanto, não apaga a personagem gigante e a mulher extraordinária que ela se mostrou dentro do reality. A atriz e cantora, no alto de seus 21 anos, é um exemplo de maturidade e segurança que serve de espelho para a maioria das pessoas aqui de fora. 

Vale lembrar, como já disse em outro texto , que pouca gente tem a coragem de assumir e viver sua liberdade, tanto de opinião quanto de sexualidade, publicamente. Maria ensina que a mulher pode ser o que ela quiser, independentemente do que vão falar ou acusar.

Leia Também

Mas a trajetória da ex-sister também nos mostra que liberdade não é sinônimo de pode tudo; que o corpo alheio não nos pertence e não podemos, de nenhuma forma, atacá-lo.

Maria foi vítima do vale tudo pela audiência , da prova não planejada – vide a mistura de água e microfone –, do amadorismo nas ações em uma tentativa cega de salvar um programa que caminhava/caminha para o abismo.

Estimular o ódio só é capaz de gerar um único produto: o ódio. Maria não merece ser resumida a isso. Ela é muito mais: uma artista cheia de talento e potencial, uma personalidade com muito a dizer. Que a vida fora da casa seja mais acolhedora e repleta de bons estímulos.

Seguimos... É que o nos resta.

** Thiago Calil é jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo. É editor-chefe do iG desde 2021, posição que assumiu após mais de dez anos produzindo conteúdo para web. Respeita muito o iGuinho, mascote do Portal, mas é apaixonado mesmo por gatos. Sambista de coração e teimoso por vocação, tem certeza que seria campeão do “Qual é a Música?”. Analisa BBB com a mesma seriedade que observa o cenário político e econômico do País. Afinal, jornalismo é jornalismo em qualquer editoria.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários