"Tirap, tchoron, tirap, tchoron. Oh-ah, oh-ah! Tirap, tchoron, tirap, tchoron. Oh, ah!" Quem nunca se pegou cantando esse refrão? Ele faz parte da letra de "Tremendo Vacilão", um dos grandes sucessos de Perlla, que estourou em 2006. Porém, ao que parece, a palavra "vacilo" voltou a fazer parte da sua vida, mas de uma forma bem diferente.

Perlla, Cris Con, Cantora, Funk, Calote, Rio de Janeiro
Divulgação
Perlla é acusada de dar calote em consultora de negócios do Rio de Janeiro


A intérprete do hit, que integrou o elenco da décima temporada do reality show "A Fazenda", da RecordTV, está sendo acusada de não cumprir o acordo com a produtora de festas e consultora de negócios Cris Con. As duas romperam a parceria de trabalho, e o clima, desde a última quinta-feira, já não é dos mais amistosos. Em um dos trechos do comunicado, publicado no Instagram, ela destacou: "Não tenho o que agradecer, apenas lamentar por um ser humano tão egoísta e mesquinho que demorei, mas consegui enxergar. Desejo que Perlla tenha sucesso e que Deus a transforme em um ser humano melhor e mais responsável".

A fim de saber o que estava rolando, a Coluna Marcelo Bandeira, do iG Gente, fez contato com Cris, que, com exclusividade, topou falar. "Em março, a Perlla me procurou para conseguir parceiros para a reforma da casa dela, em Jacarepaguá, na zona oeste do Rio. Acordou o valor de R$ 1 mil mensais e uma porcentagem em produtos, além de um diário mostrando o passo a passo da mudança. Passado o primeiro mês, disse que estava apertada, mas que faria o acerto comigo.

Perlla,Cris Con,Cantora,Funk,Calote,Rio de Janeiro
Divulgação
Perlla é acusada de dar calote em consultora de negócios do Rio de Janeiro


Ah, e detalhe, sempre me tratando com carinho. Parecia minha melhor amiga! Depois, cismou de dar os móveis que seriam trocados, enviando umas coisas usadas e até quebradas para o meu endereço e contra a minha vontade. Os meses foram passando, e nada de depósito, mas eu tinha carinho por ela e ia aceitando, mesmo apertada, já que vivo de evento. Aceitava pela amizade", explicou Cris, que também atende Nicole Bahls e é especializada em venda, empreendedorismo, consultoria, assessoria e outros cursos voltados à área comercial.

Entre um papo e outro, a produtora e consultora afirmou que foi bloqueada em tudo e que as divergências começaram com as "cobranças" por postagens nas redes sociais e divulgação de materiais recebidos, que estariam em torno de R$ 200 mil. "Quando cobrava, dizia que não ia fazer, que era a artista, e era tudo no seu tempo.

No dia 1º de agosto, por exemplo, chegaram mais coisas, e ela simplesmente guardou e não  divulgou. Ao questioná-la, gritou dizendo que eu era problemática e que não queria mais trabalhar comigo e, quando toquei no assunto do dinheiro, virou e disse 'não vou pagar'", revelou. Mas, segundo Cris, não foi por falta de aviso. "Muita gente chamou no direct para falar que a Perlla dá volta nos outros e que eu era louca de confiar, enfim. Ainda ouvi dela que seria a parte prejudicada com a exposição desse caso, mas a minha prioridade são os fornecedores", justificou. 

Questionada, disse não temer uma ação e que já está em busca de seus direitos, "até porque Perlla está toda errada. Se me processar, vai perder tempo e dinheiro, pois não tenho nenhuma renda". Quais foram os recebidos? "Ofurô, closet, muitas coisas. Só na Leroy Merlin, foram R$ 15 mil, e o combinado era eu pegar 20% desse valor em mercadoria, mas ela sempre dizia que não dava, porque precisava de tudo. Nem com meus deslocamentos arcava. Levei um calote e fiquei mal com alguns empreendedores por conta dessa postura lamentável", comentou, minutos antes de ressaltar: "Tinha fechado contrato para divulgação de outra empresa de construção, mas, quando viram os vídeos dela toda descabelada, logo cancelaram. Ia receber R$ 25 mil em produtos e me daria uma parte, mas no fim já não queria mais seguir à risca".


Para finalizar, a pergunta conciliadora: se a dívida fosse paga, voltaria a trabalhar com a Perlla? "Nunca, não há comprometimento. São seis meses me devendo, ou seja, mais de R$ 6 mil, já que nem com os produtos cumpriu o combinado. Aliás, pôs em prática, sim. Enviou uma mesa com cadeira quebrada, um guarda-roupa usado e um baú imundo de cama box queen. Me deu uma penteadeira, que nem cheguei a receber, pois alegou que o fornecedor havia pedido de volta. Só que, na sexta-feira, estava tentando vender para uma amiga minha por R$ 1.500,00. Ela está construindo uma suíte e reformando os outros cômodos de sua casa à custa do meu trabalho. Virei noites. Além do Rio, consegui parceiros em São Paulo, Mato Grosso e outros estados, e até agora não divulgou nada", argumentou Cris Con.

Procurada, a cantora não se manifestou até a publicação deste texto.

    Veja Também

      Mostrar mais