Tamanho do texto

Os artistas chegaram com tudo! Show energético, plateia em sintonia, músicos entrosados e realmente dispostos a fazer história no festival

A mais recente edição do Caldas Country, que aconteceu nesta sexta e sábado, em Caldas Novas, no coração de Goiás, berço da música sertaneja, mostrou que há muita gente talentosa em cena e que merece confete assim como Gusttavo Lima, Matheus & Kauan, Simone & Simaria, Marília Mendonça, Henrique & Juliano, entre outros.

Leia também: Marcelo Bandeira celebra 20 anos de carreira e fala de peça que cita seu nome

Robson Almeida arrow-options
Lucas Batista
Robson Almeida

Tanto que continua rendendo bons frutos para Robson Almeida, que lançou oficialmente a faixa "Quem foi que Escreveu a Nossa História?" no palco principal do megaevento. Ao tentar explicar a emoção de ver "seus versos cantados por um mar de gente", o artista goiano, com mais de 15 anos de carreira e que botou geral para dançar, não escondeu a emoção: "Indescritível".

Leia também: Casamenteira, Sabrina Sato dá uma nova roupagem para o "Domingo Show"

O novo álbum de Robson conta com assinatura do não menos talentoso Carlos Randall, vencedor do Grammy Latino, em 2010, com "Tapa na Cara", interpretada por Zezé Di Camargo & Luciano, que, aliás, também tem canções gravadas por Júlio Iglesias, Bruno & Marrone, Leandro & Leonardo, César Menotti & Fabiano, Chitãozinho & Xororó, Christian & Ralf e Edson & Hudson. Um showzão.

Robson Almeida arrow-options
Lucas Batista
Robson Almeida

Quem também deu o que falar! 

Se você acompanha a indústria da música eletrônica há algum tempo, com certeza já escutou as tracks de um dos maiores produtores brasileiros: Virking, que, assim como o DJ Alok, animou a 14ª edição do Festival Caldas Country Show. Mas antes de subir ao palco e assumir as pick-ups, ele trocou algumas palavras com a coluna e o iG Gente. Vem ver!

  • 1) Como começou a sua carreira?
Robson Almeida arrow-options
Divulgação
Virking

Aos 14 anos tocando na minha festa de aniversário e também na de amigos, porque não gostava muito da sequência das músicas. Então, organizava tudo e escolhia as melhores... (risos).

  • 2) Quais são os seus projetos futuros?

Um deles é a criação de uma gravadora para dar oportunidade para muitos talentos do nosso Brasil que não têm espaço na cena musical.

  • 3) Quais conselhos daria para um artista em início de carreira?

Paciência, foco e dedicação. A caminhada não é fácil, mas com disciplina tudo dá certo e na hora certa. Para chegar ao lugar desejado é necessário trabalhar duro e produzir aquilo que o faça feliz. A pista já tem muita coisa clichê.

  • 4) Qual o seu diferencial na hora de produzir um som?

Acredito que seja essa pegada de eletronic dance music (EDM) mesclada com a atual house music.

  • 5) A que atribui o carinho do público com o seu trabalho?
Virking arrow-options
Divulgação
Virking

Leia também: Jornalista de celebridades Marcelo Bandeira é o novo colunista do iG Gente

Performance na pista: gosto de interagir com a música.