Associação dos Guardas Civis da Baixada Santista processa Eduardo Bolsonaro
Reuters/Adriano Machado
Associação dos Guardas Civis da Baixada Santista processa Eduardo Bolsonaro

Não, caro leitor. Você não abriu a página de política. Mas como  Eduardo Bolsonaro também figura entre as colunas de celebridades, a gente resolveu te contar um babado envolvendo o parlamentar. A  Associação dos Guardas Civis Municipais da Baixada Santista moveu um processo no dia 13 de maio contra o deputado federal.


Na ação que tramita perante a 14ª Vara Civil de São Paulo , a associação alega que o político usou em duas oportunidades sua rede social com mais de 3,4 milhões de seguidores para 'denegrir' a imagem do Guarda Civil Municipal Diego Hakamaro de Oliveira. Eles querem demonstrar à Justiça, que toda a instituição foi atacada sem uma justificativa idônea.

Os advogados juntaram ao processo uma publicação feita pelo deputado, datada de 17 de abril, em que ele compartilhou um vídeo do ‘Profissão Repórter’ que acompanhava a atuação da Guarda Municipal em Santos, orientando o uso de máscara, onde Eduardo teria escrito: 'Nunca vi tanta ignorância. Ou seria boçalidade? Meu Deus'.

Você viu?

Toda a instituição diz que se sentiu ofendida com o termo usado pelo deputado federal - boçalidade e ignorância - e alega que o quadro é mais grave porque o político teria feito isso em rede social com mais de 3,4 milhões de seguidores.

De acordo com a associação, há ainda, uma outra postagem que teria sido feita por Eduardo e atingido a imagem dos Guardas Civis Municipais, esta com data de 3 de maio, atacando os guardas que atuavam na praia de Pernambuco, na cidade do Guarujá, e que em nada colaboraria com o combate à pandemia.

Eduardo teria postado: 'Se houve algum risco aí foi a aglomeração incentivada pela guarda'.

A associação pede na Justiça a remoção das postagens bem como indenização por dano moral do quanto o magistrado achar justo.  A ação ainda tem como réu o Facebook.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários