João Luiz e Rodolffo
Globoplay/Reprodução
João Luiz e Rodolffo

Após a fala de João ontem, ao vivo no 'BBB 21', sobre o racismo que sofreu após uma fala de Rodolffo sobre seu cabelo, a Globo utilizou o tema como pauta para suas atrações da manhã de ontem, em sua programação. Um detalhe importante expõe a falta de representatividade dentro da emissora carioca. Para comentar o ocorrido, a Globo teve que se valer de participações especiais, já que a falta de apresentadores negros fixos na casa é um fato concreto.

A emissora que quer falar de racismo, dar exemplo, mas na verdade não consegue por em prática seus próprios conselhos. Na programação nacional e diária, o entretenimento da Globo não conta com nenhum apresentador fixo negro e só se diferencia no jornalismo porque tem Maju Coutinho como apresentadora de um programa diário em rede.

Aquele ditado 'casa de ferreiro espeto é de pau' cabe confortavelmente à emissora dos Marinho. O racismo precisa, sim, ser falado, pois só combatemos esse crime expondo quem o pratica e ensinando os que não tem conhecimento, mas não pode ser um assunto caça audiência como a Globo faz. Está na hora da Rede Globo parar de querer dar lição de moral e ser a 'lacradora' e ao mesmo tempo continuar incentivando a prática do racismo com a falta de representatividade em sua grade nacional e fixa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários