Giovana Echeverria e Luiz Carlos Guimarães Salles Neto
Reprodução
Giovana Echeverria e Luiz Carlos Guimarães Salles Neto


O imbróglio envolvendo a atriz Giovana Echeverria, que interpretou a Nanda na temporada de 2010 de 'Malhação' e o ex-marido Luiz Carlos Guimarães Salles ganhou mais um capítulo neste final de semana. Ela acusou o cantor e compositor de ter raptado o filho há duas semanas. Só que a defesa de Luiz Carlos comprovou através de documentos que a mãe tinha perdido a guarda unilateral do menino, de três anos, no dia 25 de janeiro.

Recentemente, Luiz Carlos e atriz procuravam entrar em um acordo para regulamentar os dias de visita do filho. Giovana, que mora em São Paulo, levou a criança no dia 11 de janeiro ao Rio para a família do pai, já que existia uma medida protetiva que impedia Luiz Carlos de ficar a menos de 200 metros da atriz. Mesmo assim, a criança só poderia estar na companhia do pai se fosse acompanhado por uma babá. O acordo teria sido desrespeitado com a dispensa da profissional e a criança não foi devolvida na data combinada. A atriz, então, entrou na Justiça contra Luiz Carlos com pedido de busca e apreensão nas regiões de São Conrado e Angra dos Reis, no Estado do Rio de Janeiro. Daniel Bialski.

Você viu?

Segundo os advogados Armstrong Cosme de Oliveira e Mayse Azeredo, o cantor e compositor recebeu decisão favorável do Ministro Jorge Mussi do Superior Tribunal de Justiça – STJ em disputa pela guarda do filho após a decisão da instância superior. Oo Juiz Homero Maion, da 6ª Vara da Família e das Sucessões de São Paulo revogou a medida anterior que concedia a guarda provisória a mãe.

Os advogados afirmam ainda em nota que Luiz Carlos comunica diariamente onde o filho está, posta fotos e faz videoconferência e buscaria a possibilidade de realizar um acordo para preservar a integridade física e psicológica do filho com uma guarda compartilhada, além de se colocar à disposição para que isso seja ajustado livremente pelas próprias partes, sem precisar de uma disputa judicial.

A coluna entrou em contato com Giovana Echeverria, mas não obteve resposta até o fechamento da nota. Os advogados da atriz, Daniel Bialski e Bianca Papin afirmaram que à decisão do Tribunal de Justiça determinou que a criança permaneça com a mãe, desde que ela esteja no estado do Rio de Janeiro, até nova deliberação. Ressaltando que em duas oportunidades o pai fugiu e evitou o cumprimento das decisões judiciais. Eles também alegam que é inverossímil e até afrontosa a assertiva de que o pai tem se comunicado todos os dias, informando o paradeiro da criança.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários