Tamanho do texto

Atriz estará no longa "Derrapada", de Pedro Amorim, que estreia em 2020;confira mais destaques da coluna Bastidores desta segunda-feira (01)

Heslaine Vieira, que fez sucesso na pele de Ellen em "Malhação Viva a Diferença", em 2018, será protagonista do longa "Derrapada", com direção de Pedro Amorim.

Leia também: Cada vez mais pop, Iza ganha projeção como apresentadora de televisão

Heslaine Vieira
João Frazão
Heslaine Vieira


O longa conta a história de Samuca, vivo por Matheus Costa, e sua namorada Alicia, personagem de  Heslaine Vieira . A trama retrada a dificuldade e os desafiosde uma gravidez não planejada na adolescência, tendo que enfrentar diversos problemas.

Heslaine Vieira
João Frazão
Heslaine Vieira

“Estou muito feliz com esse novo projeto e com esse presente que o Pedro me deu. A Alicia é mulher forte, determinada, mas divertida e eu amei o resultado dessa transformação", disse a atriz , que mudou radicalmente o visual, pintando os cabelos de rosa, para viver Alicia.

O filme tem previsão de estreia para 2020 e ainda terá a participação de  Nanda Costa e do ator Luís Miranda, que será o pai de Heslaine.

Leia também: Conflituosa e cheia de mistério, segunda temporada de "Absentia" estreia no AXN

Além desse projeto, a atriz espera o resultado do Emmy Internacional Kids 2018, em que "Malhação" concorre, que acontecerá em uma cerimônia em Cannes, na França, no dia 9 de abril de 2019, e em julho aparecerá na telinha em "Os Parças 2", filme com Tom Cavalcante e Whindersson Nunes.

A obra "Chá e Catástrofe", de Caryl Churchill, estreou mundialmente há três anos no The Royal Court Theatre, em Londres. A partir do dia 5 de abril, sexta-feira, a peça se apresenta pela primeira vez no Brasil, na Sala Jardel Filho, no centro de São Paulo.

Primeira vez no Brasil

Caryl Churchtill
Reprodução
Comédia de Caryl Churchtill ganha primeira montagem brasileira


A comédia ácida e dramática de Caryl Churchill terá mostra três senhoras tomando o chá da tarde até que chega uma intrusa. A partir daí, elas abordam com ironia as dificuldades de comunicação e a solidão, alémde dramas de mulheres mais velhas. Tudo isso acontece por visões ambientais catastróficas em um cenário com um quintal na Inglaterra.

No elenco, temos Chris Couto, ganhadora do Prêmio Shell 2019 por atuação em "A Milionária", Clarisse Abujamra, Selma Egrei e Agnes Zuliani. A direção da obra é de Regina Galdino e a tradução fica por conta de Eliana Rocha.

"Chá e Catástrofe" estará no Centro Cultural de São Paulo, na Sala Jardel Filho, rua Vergueiro, 1000, dos dias 05 ao dia 12 e abril, às sextas e sábados 21h, e domingo 20h. A estrada é R$ 20, mas no dia 14 terá uma apresentação com preço popular de R$ 3.

SescTV

Cena do documentário
Divulgação
SescTV estreia o documentário premiado "Hotxuá – o Palhaço Sagrado, o Riso da Terra"


Filmes premiados com o tema Territórios Indígenas ganharam espaço no SescTV, que nos meses de abril e maio levará as obras para sua grade de programação. Com isso, o canal participa do projeto "Abril Indígena", realizado pelo Sesc São Paulo em suas unidades. I

Inédito no canal, o documentário "Hotxuá – o Palhaço Sagrado, o Riso da Terra", diririgo por Letícia Sabatella e pelo artista plástico e cenógrafo Gringo Carcia, inicia as apresentações no dia 5 de abril, sexta, às 23h. Ele será reapresentado no dia 7, domingo, às 16h, no dia 9, terça, à 1h e no dia segunte, meia-noite.

Ainda em abril, o caral exibirá "Baré – Povo do Rio", "Diriti de Bdè Buré", "A Nação que Não Esperou Por Deus" e "As Hiper Mulheres", todos nas sextas.

Leia também:  Heslaine Vieira comemora destaque em "Malhação": "Retrato social da periferia"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.