Tamanho do texto

Entrevista com a banda argentina é um dos destaques da coluna Bastidores

 Era no outono de 2007 em Cabo Polônio, um povoado isolado no Uruguai, que a brisa gelada do atlântico-sul carregada pela maré testemunhava a criação do Onda Vaga, uma oscilação de sons que, dez anos depois, se mostrou bem mais feroz que as águas daquele oceano. Formado por Ignacio Rodríguez, Marcelo Blanco, Marcos Orellana, Tomás Justo Gaggero e Germán Cohen  a banda de rock alternativo conquistou seu lugar no cenário musical da América Latina, tendo no currículo a versão chilena e argentina do Lollapalooza, ambos em 2014, shows pela Europa e até mesmo uma participação em um festival de música no Japão. Agora, com o seu quarto álbum de estúdio “OV IV” lançado de forma independente, o grupo chega ao Brasil mais uma vez trazendo experimentações que são mais uma viagem sonora pelo continente latino-americano.

Leia também: Drama "Uma Razão para Viver" abre 61º London Film Festival

Os meninos do Onda Vaga falam ao iG
Diuvlgação
Os meninos do Onda Vaga falam ao iG

“Este trabalho é resultado um pouco uma evolução natural do que estamos fazendo musicalmente e nos surpreendeu um pouco também”, comenta Marcelo Blanco, conhecido como “Chema” pelos fãs do Onda Vaga . Diferentemente dos trabalhos anteriores, “OV IV” traz uma pegada mais pop com beats eletrônicos, como demonstra canções como No Es Un Exceso e El Estupor. ”Mas nós gostamos muito desse resultado. É uma evolução inevitável levando em consideração que temos cinco cabeças criativas ao mesmo tempo funcionando”, completa o cantor.

 Leia também: Drama "Uma Razão para Viver" abre 61º London Film Festival

Com essa miscelânea musical, os ritmos brasileiros, por sua vez, não ficaram de lado no trabalho do grupo. E isso não se deve só por Será Que Estás Ahí, canção do novo álbum, mas também pela sua conexão com o cenário da música brasileira. Há pouco menos de um ano, o grupo esteve no Brasil para a abertura do show de lançamento do primeiro álbum da banda Francisco, el hombre, um encontro que, mais tarde rendeu um convite aos brasileiros para tocar em Buenos Aires. “Para nós sempre existiu essa relação com Brasil, a princípio por nossas influências, por escutarmos essas músicas. E, por sorte, aconteceu que o público brasileiro acabou se interessando por nós”, opina Chema.

O mercado musical

Apesar da boa relação que cultiva com o Brasil, entrar no mercado brasileiro para o músico, é um mistério. “A verdade é que mesmo tenho essa ideia prévia de que é difícil entrar no mercado brasileiro, talvez porque os brasileiros se interessam por escutar apenas a sua música. Não sei, mas acredito que de alguma maneira conseguimos chegar a um som que funciona para todos”, opina. Já em relação ao mercado internacional, a visão é positiva. “É muito clara a participação latina hoje nesse cenário. Claro que há uma moda que tende a abraçar esse lado latino, mas por outro lado creio que para nós é muito natural semear as nossas raízes, estamos muito acostumados ao ritmo latino”, finaliza o músico.

Sobre as expectativas de tocar no Brasil, Chema não hesita em responder: “Sempre foi um bom clima. Quando tocamos em São Paulo, foi muito melhor que nós esperávamos então em geral nossa expectativa é muito alta sim, as pessoas nos surpreendem”.

Os shows de lançamento do novo disco do Onda Vaga acontecem nesta quinta (5) na Ladeira das Artes no Rio de Janeiro (RJ), na sexta (6) no Sesc Pompeia em São Paulo (SP) e no sábado (7) no Opinião em Porto Alegre (RS). 

Cultura de raiz

A 11ª edição do Mês da Cultura Independente (MCI) acontece ao longo de outubro e traz ao público diversas atividades. O evento, promovido pela Secretaria Municipal da Cultura, envolve música (como os shows da cantora Tiê e das bandas de reggae Ponto de Equilíbrio e Mato Seco), palestras sobre diversidade, feiras e, até mesmo, oficinas que ensinam técnicas de colagem de lambe-lambe.

A programação se estende durante todo o mês e será encerrada com a quarta edição do SP na Rua, onde diversos coletivos se encontram em uma contemplação lúdica de ruas e lugares históricos da cidade. Para conferir tudo o que vai rolar no MCI, acesse o site official: www.formacaocultural.pagina-oficial.com.

TIM Music by Deezer e Filtr LIVE 

 As cantoras Ludmilla e Pabllo Vittar são as principais atrações do TIM Music by Deezer apresenta Filtr Live – uma iniciativa da Sony Music. As performances agitarão a casa de shows Brooks, na zona sul da capital paulista, no dia 23 de novembro.

Pabllo Vittar será atração no evento
Reprodução
Pabllo Vittar será atração no evento

 Os ingressos variam entre R$90,00 e R$220,00 e já estão à venda no site www.eventim.com.br.

American Idol

 A nova edição do programa internacional de calouros American Idol deve começar apenas em março do próximo ano, mas a bancada dos jurados já está formada. Os cantores Luke Bryan, Katy Perry e o veterano, Lionel Richiel serão os responsáveis por avaliar as apresentações, enquanto, Ryan Seacrest continua sendo o responsável por comandar a atração.

 Livros

Diversas obras da literatura brasileira e também internacional já foram adaptadas para as telinhas e se transformaram em dramas que marcaram época. Em seu novo livro, Amor Proibido, o dramaturgo, Walcyr Carrasco, conta a história de Adamo, um vendedor de camisetas que sonha em adaptar o clássico de José de Alencar, Iracema, para as televisão.

 Unindo o universo da dramaturgia televisiva e a literatura, Walcyr Carrasco traz a narrativa romântica do clássico à uma obra mais leve e moderna, que também conta uma história de amor impossível e traz curiosidades sobre os bastidores das produções televisivas.

 “O outro lado do paraíso”

Glória Pires será Elizabeth em
Divulgação
Glória Pires será Elizabeth em "O Outro Lado do Paraíso"

 Falando em Walcy Carrasco, sua próxima novela, que substituirá “A Força do Querer”, promete dar o que falar. Na história, Mercedes (Fernanda Montenegro) é uma mulher mística e respeitada por todos na cidade de Pedra Santa, na região do Jalapão, em Tocantins. Ela vive com sua neta, Cleo (Bruna Santos/Giovana Cordeiro) e recebe viajantes que passam pelo local. Quando fica sabendo que Clara (Bianca Bin), quem conhece desde criança, se casará com Gael (Sergio Guizé), rapaz de família rica de Palmas, ela não tem um bom pressentimento.

Clara é neta de Josafá (Lima Duarte), que teve um romance com Mercedez no passado e mantém uma forte ligação com ela até hoje na esperança de retomarem seu relacionamento. Com a ajuda da senhora, Josafá buscará forças para enfrentar o desaparecimento repentino de Clara, que some misteriosamente sem deixar rastros.

“Tempo de Amar”

No capítulo desta sexta-feira de “Tempo de Amar”, Maria Vitória (Vitória Strada), que ainda está no convento, recebe das mãos de Delfina (Letícia Sabatella) uma carta de Inácio (Bruno Cabrerizo) contando que ele está a caminho do Brasil.

O que a moça não sabe é que o rapaz, de quem espera um filho, sofreu um acidente e está inconsciente já em terras brasileiras. Mal sabe Maria Vitória que a verdadeira intenção da madrasta é afasta-la cada vez mais de seu pai, José Augusto (Tony Ramos).

Ainda nesse capítulo, Maria Vitória entra em trabalho de parto e dá a luz à uma menina – Mariana, em homenagem à sua vó paterna.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.