Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso
Reprodução/Globo
Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso

Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso falaram ao “Fantástico” sobre o caso de racismo contra os filhos Títi e Bless em Portugal, no último sábado (30), quando a atriz e apresentadora discutiu com uma mulher que teria dito para “tirar aqueles pretos imundos dali”, referindo-se às crianças. Bruno foi o responsável por chamar a polícia.

+ Entre no canal do  iG Gente no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre celebridades, reality shows e muito mais!

De férias em Portugal com a família, o casal estava almoçando em um restaurante, enquanto as crianças brincavam na praia à frente. Bruno revelou que uma das crianças foi até eles e contou o que havia ocorrido.

— Essa mulher passou, ela não estava dentro do restaurante e começou a xingar as crianças, Titi e Bless, e também a família de angolanos que estavam no restaurante e eram mais ou menos uns 15 angolanos — relatou Giovanna à apresentadora Maju Coutinho. — A mulher estava dizendo muitas coisas, entre elas dizendo "pretos imundos, voltem para África".


A atriz e apresentadora contou que a mulher ficou estática e que não esperava ser confrontada por uma mulher branca.
— Sei que eu, como mulher branca, indo lá confrontá-la, a minha fala vai ser validada, eu não vou sair como a louca, a raivosa, como acontece com tantas outras mães pretas que são leoas todos os dias, como eu fui neste episódio — disse Giovanna. — Sou uma mulher muito consciente dos meus privilégios, sou uma mulher que está sempre rodeada de outras mulheres pretas aprendendo diariamente. Vou fazer jus ao nome privilégio branco e vou combater de frente. Eu quero que todo mundo saiba, nós não vamos combater o racismo de maneira leve, vamos passar por cima e fazer jus a esse tal privilégio branco.

Giovanna contou que Bless estava brincando e não compreendeu o que aconteceu, mas que Titi entendeu tudo.
— Foi a primeira vez que a minha filha me viu combatendo o racismo de frente. Falamos muito sobre isso com eles, mas ela nunca tinha me visto combatendo de frente como foi feito. Ela ficou muito assustada — disse. — É muito cruel pensar que Titi e Bless, que têm 9 e 7 anos, já devem ser fortes, duas crianças , que eles já precisam ser preparados e já estão sendo preparados para combater o racismo.

Ao ser questionada se havia dado um tapa na mulher, Giovanna admitiu, mas Bruno fez questão de ressaltar que a esposa não agrediu, apenas reagiu.
Emocionada, a atriz disse saber que os filhos irão passar por situações do tipo mais vezes.
— Sabemos que vai acontecer muitas outras vezes — lamentou Giovanna. — Então, é continuar fortalecendo os nossos filhos, mostrando o quanto eles são maravilhosos, o quanto eles são fortes e quanto eles têm direito de combater o racismo. 

Após o vídeo da discussão entre Giovanna e a mulher viralizar nas redes sociais, a atriz e sua família receberam o apoio de várias personalidades na internet. Nomes como Bruna Marquezine, Marcelo Serrado, Felipe Neto, Astrid Fontenelle, Lumena Aleluia, Fabíula Nascimento, Drica Moraes e Felipe Araújo prestaram solidariedade em suas redes sociais.

“Eu arrebentaria com os dentes dela, podem dizer que eu ia perder a razão que não deveria mas nada, nada justifica essa senhora fazer isso. (...) Não podemos mais aceitar ou tolerar gente assim”, comentou a apresentadora Xuxa Meneghel.
O caso gerou repercussões na imprensa portuguesa. Jornal mais antigo em circulação em Portugal, o Diário de Notícias publicou o vídeo no qual Giovanna discute com a mulher, no restaurante de praia Clássico Beach Club, na Costa de Caparica. A publicação destaca que é possível ouvir a brasileira dizendo “racista nojenta” para a agressora.

O Público destacou que a mulher acusada por Giovanna foi presa. Mas a detenção ocorreu pelo fato da ofensora ter dito “injúrias” aos agentes da Guarda Nacional Republicana (GNR) que foram chamados ao local. Ainda de acordo com a publicação, a Divisão de Comunicação e Relações Públicas da GNR informou que a mulher estava alcoolizada no momento da detenção e já foi libertada.

Em participação recente no podcast "Quem Pode, Pod", comandado pela esposa e por Fernanda Paes Leme, Bruno se emocionou ao falar do medo de violência racial contra os filhos. “A gente vive em um país racista, um país que as pessoas são assassinadas por causa da pele. Eu vou ter que ter um papo diferente com Títi e Bless do que vou ter Zyan. Se o Zyan parar numa blitz vai ser diferente do Bless parar numa blitz”, lamentou o ator, lembrando o terceiro filho do casal.



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários