Aline Dahlen também participou do
Reprodução/ Record TV
Aline Dahlen também participou do "BBB 14"

Aline Dahlen virou assunto nos últimos dias por desistir do "Ilha Record 2", reality de aventura da Record TV. A participante decidiu sair do programa para correr atrás da namorada Milena Requião. Ao iG Gente, a ex-BBB contou tudo da decisão, revelou cenas cortadas do programa pela emissora, abriu o jogo sobre os colegas de confinamento e ainda relembrou a época que participou do "BBB 14", da Globo. 

Se dentro de realities os participantes entram para contar uma história, Aline conseguiu engatar uma trama - e de amor- fora de um. Poucos meses antes de ser confinada no "Ilha Record", ela havia se aproximou romanticamente de uma amiga e ao entrar no reality percebeu que estava amando. 

"Eu já era amiga dela há muito tempo e as coisas foram acontecendo naturalmente. A gente começou a se falar todo dia, ficamos e, logo em seguida, fui para o 'Ilha Record', sem falar nada para ela. Quando eu tive que ficar longe dela, no confinamento para o reality, eu tive certeza que a amava. Ela me deu amor que homem nenhum me deu, um amor que sempre procurei e nunca encontrei", relembra Aline. 

Aline Dahlen e namorada, Milena Requião
Reprodução/Instagram - 25.07.2022
Aline Dahlen e namorada, Milena Requião

A ex-BBB enfrentou os primeiros dias do reality, mas explica que a cabeça estava em Milena, a atual namorada. Ela tinha medo que a amada se sentisse rejeitada. "Não queria que ela sentisse que eu não gostei do que aconteceu". 

Além disso, a relação era nova para as duas, já que Milena foi a primeira mulher que despertou um sentimento em Aline e vice-versa. Ao ser confinada no reality da Record TV, a ex-explorada ainda estava confusa com a situação. Ela precisava conversar com Milena e entender se ela também sentia o mesmo. "A gente estava se descobrindo", conta.

Ao sair do "Ilha Record" a primeira atitude de Aline foi ligar para Milena e contar tudo o que aconteceu. "Eu tava morrendo de medo, mas logo ela abriu aquele sorrisão e vi aqueles olhos azuis, tudo se acalmou", detalha de maneira apaixonada. 

A fisiculturista pontua que a produção foi compreensiva com a decisão dela e a apoiou quando saiu do reality. Algo que não aconteceu quando estava dentro do "Ilha Record". 

Homofobia dentro do "Ilha Record 2"

Aline conta que uma das coisas que também a fez sair foi o preconceito que sentiu de dois participantes do "Ilha Record 2". Ela prefere não citar nomes, mas diz que foram "escr*tos". 

Depois dos comentários homofóbicos (que Aline prefere não detalhar), a ex-BBB conta que ficou com medo dos colegas de confinamento e tentou dar a entender que não se tratava de um romance lésbico para se proteger: "Eu tive até que falar para eles: 'olha não é um amor, é uma pessoa que eu tô gostando, mas a gente não tem nada'", aponta. 

Solange Gomes, no entanto, foi uma das participantes que apoiou Aline. "Foi a única que me estendeu um pouco a mão, mas mesmo assim eu não consegui falar tudo", ressalta. 

A ex-Ilha Record diz que não conseguiu se aproximar de ninguém no programa e que as panelinhas pré-formadas atrapalhavam muito. "Lá, tem muita prova e a gente não tem muito tempo de convivência. Então, é difícil fazer amizade. Além disso, tinha um pessoal que já se conhecia de antes". 

Segundo ela, tem uma "panelinha dos MTVs". Aline se refere a Sté Viegas, Victoria Bellato e Nakagima, que participaram do "De Férias com Ex". "Eu acho injusto porque fica mais difícil para quem não conhece ninguém. Penso que seria mais legal se colocassem pessoas que não se conhecessem". Ela ainda ressalta que se tivesse um amigo a apoiando no programa, talvez não teria desistido. 

Aline revela cena cortada pela emissora onde Ste faz discurso opressor

Uma integrante da panelinha citada não se deu bem com Aline: Sté Viegas. "Ela é insuportável, acha que é o centro das atenções e tem um discurso de bullying terrível", afirma. 

Aline conta que não gostou da ex-participante do De Férias com o Ex desde o início, mas tentou dar uma chance, algo que não adiantou muito. A ex-BBB, então, entrega uma discussão com Ste que não foi passada no programa. 

"Ela disse assim: 'eu e minhas migas não andamos com menina feia'. E ela não falou brincando. Mesmo que ela estivesse brincando, a gente não fala isso em um reality show, onde tem gente assistindo. Estamos em uma hora que todo mundo usa photoshop, usa filtro no Instagram e que pensam que as meninas são o que elas postam", critica. 

Aline diz que foi a única que rebateu a fala na hora e disse para Sté que o discurso pode até provocar distúrbios: "Aí, por isso, tem menina que deixa de comer". A ex-exploradora também ironiza: "Se ela não anda com menina feia, não anda consigo própria". 

Segundo Dahlen, Sté logo rebateu as críticas e disse que a ruiva estaria levando a conversa para o lado pessoal. "Eu disse: já fui a menina feia. Eu não estou levando para o lado pessoal. Estou pensando na galera que está vendo do lado de fora", relembra a ex-BBB.

Aline também expõe um discurso preconceituoso contra Solange. "Teve gente fazendo discurso falando desse negócio da idade, chamando ela de velha, para desestabilizar. Mas ela é linda, dá um caldo em um monte de gente lá", conta.

Outra cena que não foi mostrada foi de Jaciara correndo para abraçar Mariana Rios. Segundo Aline, a participante foi forçada e, por isso, a considera  VTzeira. "Na primeira vez que a gente viu a Mariana Rios, a Jaciara pulou nela, abraçou e disse: 'Não estou aqui para ganhar prêmio, estou aqui só para te conhecer'. Isso não pegou muito bem", relembra. 

Aline ainda classifica Whendy como "burrinha" e Bruno Sutter como "sem personalidade".

'BBB 14' prejudicou Dahlen

A ruiva também relembrou a época do "BBB 14". Ela disse que o reality da Globo abriu muitas portas. "Graças ao BBB, eu apresentei um programa semanal no sul", pontua.

Mas, ao mesmo tempo, a atração prejudicou o trabalho dela como atriz. Aline foi considerada a vilã da 14ª edição do programa e isso fez com que ela saísse com o maior índice de rejeição da temporada. "Depois disso, minha carreira como atriz ficou parada. Fiz umas cenas no Zorra Total, mas não tinha muito trabalho", detalha. 

Vale lembrar que Dahlen atuou em algumas novelas da TV Globo, como "Pé na Jaca" (2007), "Sítio do Pica-Pau Amarelo" (2007), "Faça Sua História' (2008) e "Clandestinos" (2010).

Aline ainda relembra que considerava que Boninho, diretor do reality, a perseguia. "Ele pegava muito no meu pé. Mas toda a história tem que ter uma vilã. E ela é uma protagonista". 

Porém, a fisiculturista afirma que não guarda rancor do diretor do Big Brother. "Um dia encontrei ele em um voo. Ele e a esposa [Ana Furtado] foram uns queridos", diz. Ela ainda fala que gosta do novo formato da atração global: "Isso de colocar pipoca e camarote deu certo. Agora tem pessoas que têm algo a dizer. Antes eles colocavam só umas piriguetes e umas pessoas para brigar", alfineta. 

Na época, Dahlen gerou polêmicas. Uma delas sobre a própria sexualidade. Após beijar algumas colegas de confinamento no "BBB", Aline foi questionada se era lésbica. Ela negou, disse não gostar de mulheres, e enfatizou que nem amigas tinha, seus amigos eram apenas "homens gays e normais".

Aos risos, Aline relembra a fala e explica: "Eu dizia que não gostava de ter amigas mulheres porque umas amigas minhas tinham me machucado muito na época. Até hoje eu tenho mais amigos homens mesmo. Mas isso de não gostar de meninas, eu era muito confusa, não sabia ainda... O mundo dá voltas, né". 

A fisiculturista, então, conta que sempre soube da sexualidade, mas não enxergava: "Gostava, tanto que beijei as meninas no BBB". 

+ Entre no canal do iG Gente no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre celebridades, reality shows e muito mais!

Por fim, Aline ressalta que, por enquanto, está concentrada em viver o amor com Milena, em Londres, na Inglaterra, mas pretende voltar para o Brasil e tocar a carreira na TV. "Quero arrastar ela [Milena] de volta para o Brasil e meu sonho é apresentar um programa meu", finaliza. 



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários