Gusttavo Lima é alvo de polêmica por cachês de prefeituras
Reprodução/Instagram
Gusttavo Lima é alvo de polêmica por cachês de prefeituras

Está confirmado o show de Gusttavo Lima, com cachê de R$ 1,04 milhão bancado pela prefeitura de Magé, na Baixada Fluminense, nesta quarta-feira (8).

Alvo de investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) — o órgão apura supostas irregularidades na contratação do artista —, a apresentação do cantor sertanejo abre, às 23h40, o evento de comemoração pelos 457 anos da cidade, em programação que se estende até sábado (11).

Por meio de nota, a administração municipal informa ao GLOBO que "toda a programação do aniversário de 457 anos de Magé está mantida. Inclusive, o show do Gusttavo Lima".

O sertanejo foi escolhido como atração principal da festa por meio de consulta pública no aplicativo Colab, com 70% da preferência dos cidadãos, desbancando os concorrentes Turma do Pagode e Jota Quest.

No total, apenas 659 votos foram computados — a população de Magé é estimada em mais de 246 mil habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Chama atenção a diferença entre o cachê de Gusttavo Lima e dos outros artistas que se apresentarão ao longo do evento: enquanto o sertanejo receberá R$ 1 milhão, valor dez vezes superior ao que deveria ser investido pela prefeitura em atividades culturais em todo o ano, Belo (que sobe ao palco na quinta-feira, 9) e Falcão (que canta na sexta-feira, 10) ganharão, cada um, R$ 180 mil pelo trabalho. A diferença entre os cachês de Gusttavo e dos demais é de cerca de 450%.

O evento acontece numa área ao ar livre em Bongaba/Piabetá próximo a um aterro sanitário. Como noticiou o colunista do GLOBO Ancelmo Gois, o MP-RJ também investiga se o espaço pode trazer riscos para a população.

A prefeitura garante que "não há irregularidades" e ressalta que o município entregou todas informações solicitadas pelo órgão. A administração afirmou, ao GLOBO, que usará "os rendimentos dos recursos recebidos pela privatização da Cedae".

Cachês milionários 

No último domingo (5), uma apresentação de Gusttavo Lima no município de Teolândia, na Bahia, foi suspensa horas antes do início do show, por determinação judicial. A prefeitura da cidade, que ainda sofre com as consequências das fortes chuvas no fim de 2021, pagaria R$ 704 mil de cachê para Gusttavo.

Os casos na Justiça e cancelamentos de shows se avolumam. Em Conceição do Mato Dentro (MG), a apresentação de Gusttavo, que custaria R$ 1,2 milhão à prefeitura, foi suspensa. A quantia fazia parte de uma verba destinada a áreas como educação e saúde.

Os casos vieram à tona depois de circular na internet um vídeo em que o sertanejo Zé Neto, da dupla com Cristiano, zombava de uma tatuagem íntima de Anitta e criticava a Lei Rouanet. “O nosso cachê quem paga é o povo. A gente simplesmente vem aqui e canta”, disse, durante um show que custou R$ 400 mil à prefeitura de Sorriso, no Mato Grosso. Usuários de redes sociais reagiram pedindo uma “CPI do sertanejo”.




    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários