Whindersson Nunes e a modelo Sabrina Lourenço
Reprodução
Whindersson Nunes e a modelo Sabrina Lourenço

Há quase semana, Sabrina Low evita sair de casa. Quando o faz é para ir a uma lanchonete ou mercado. Nada de ficar muito tempo na rua. Após o vazamento de prints de conversas íntimas dela com Whindersson Nunes, a modelo diz que está vivendo com medo. "Até ameaçada de morte eu fui, disseram que sabem onde eu moro... Lógico que estou preocupada. Nunca passei por nada parecido", diz ela em sua primeira entrevista após o episódio.

A exposição aconteceu a partir do conteúdo que Sabrina tinha em seu celular. O que levou uma grande maioria de internautas a apontá-la como a autora do delito. Um instagram de fofocas publicou os prints. E agora a modelo quer provar sua inocência. Inclusive para Whindersson. “Não nos falamos depois disso. Pelo que li das postagens dele, deu para ver que estava muito bravo. Eu só quero provar minha inocência. Sei que não preciso ou sou obrigada a isso, mas se esquecem que eu também fui exposta e estou morrendo de vergonha da minha família”, argumenta ela, que pretende registrar um Boletim de Ocorrência para descobrir se suas desconfianças estão corretas.

“Não printei nossas conversas e mandei para uma amiga. A única pessoa que sabia que estávamos saindo era a minha mãe. E ela mora no interior do Mato Grosso”, diz a modelo, de 20 anos: “Sempre tive medo que alguém soubesse”.

Para Sabrina, alguém agiu de má fé com ela. E diz que o telefone ficou numa assistência técnica de um shopping em São paulo, onde mora, por alguns dias. "Primeiro apareceu uma foto minha e do Whin, no camarim dele. Eu até falei com ele que se alguém perguntasse eu diria que era uma foto de fã apenas", conta.

O ex de Luisa Sonza teria dito que não precisava fazer isso. Os dois se conheceram há cerca de 1 ano, garante Sabrina. "Começamos a conversar pelas redes sociais, mas logo depois ele assumiu o namoro com a Maria Lina, e eu comecei a namorar um MC também", recorda: "Quando ele se separou, passou um mês e pouco e mandei mensagem. Eu também estava solteira outra vez. Nessa época ele estava no México para fazer uns shows e combinamos de nos conhecer quando ele retornasse".

Assim aconteceu, nas palavras de Sabrina. E os dois começaram a viver um affair. "A gente sempre se via. Ficava uns dez dias longe e se encontrava. Não sou um caso de uma noite", diz ela: "Não quero ser chamada de vagabunda como estou sendo. Trabalho desde os 17 anos em São Paulo, tem uma agência que me representa, sou independente e pago as minhas contas. Eu ganharia o que com as conversas vazadas? Só haters. Porque agora nem com ele eu posso falar mais, já que se afastou por achar que quebrei a confiança dele. As primeiras a me cancelar foram as mulheres. Queria saber que feminismo é esse, onde o homem sai de pegador, e eu de traidora. Essas conversas nem são de agora. já tem um tempinho. Por que eu iria vazar um conteúo que só me prejudicaria? Por 15 minutos de fama é muito pouco".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários