Sarah Poncio segurando Josué no colo
Instagram
Sarah Poncio segurando Josué no colo

Sarah Poncio perdeu a guarda do filho Josué na última quinta-feira (9) . A Justiça atendeu o pedido da mãe biológica de ter o menino de volta à casa após alegar estar mal psicologicamente e passou a ser atacada pelos fãs da família Poncio por ter perdido a guarda da criança.

O processo de adoção de Josué foi interrompido. Sarah e Jonathan Couto tiveram que se despedir do menino após cerca de dois anos com ele, pois deram início à adoção no começo de 2020. O dois decidiram ficar com o menino após a babá da família Poncio, tia da criança, contar que ele estava vivendo em uma situação precária e levá-la para a família dos chefes. Porém, em setembro do ano passado, a mãe biológica entrou na Justiça para ter a guarda de volta.

Alguns fãs da família Poncio estão defendendo Sarah e passaram a atacar a família biológica de Josué. Porém, a influenciadora se manifestou nas redes sociais pedindo para que os seguidores não façam isso, pois eles não sabem o que está se passando na vida da mãe biológica do bebê.

"Peço por favor que não ataquem a família biológica. Ninguém sabe que se passa na vida das pessoas, Deus está no comando de tudo. Em breve apareço para falar com vocês um pouquinho", pediu Sarah no Instagram

Leia Também

Entenda a adoção

No começo de 2020, Sarah e Jonathan Couto anunciaram nas redes sociais que adotaram o pequeno Lorenzo, sobrinho da babá da família Poncio, que segundo ela, vivia em uma situação precária com a família. Durante a adaptação judicial, o casal decidiu mudar o nome da criança para Josué, um dos guerreiros de Israel na Bíblia. 

“Quando a Cyntia [babá] falou sobre a situação da criança, Deus tocou o meu coração, e me ofereci para adotá-lo. Toda família está muito feliz com a chegada de Lorenzo. Ele é um anjo enviado para nós”, declarou Sarah Poncio nas redes sociais. 

Em setembro de 2020, a mãe biológica da criança pediu para reaver a guarda. Ela alega que não tinha a intenção de doar a criança e teria autorizado apenas uma viagem com a tia, para ela cuidar, não para ser adotado por outra família. Agora a Justiça deu ganho de causa para a mãe biológica, que diz que está psicologicamente abalada pela falta do filho.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários