Yasmin Brunet, representação de Moloch
Instagram
Yasmin Brunet, representação de Moloch

Yasmin Brunet, de 33 anos, gerou polêmica recentemente ao relacionar as mortes no festival AstroWorld , nos Estados Unidos, a criaturas demoníacas. Tudo começou quando a modelo resolveu opinar nas redes sociais sobre o fato do rapper Drake ter realizado uma festa, em um clube de strip-tease , após o evento que terminou com nove espectadores mortos. "Cuidado com as músicas que vocês ouvem... já falei isso mil vezes e não é brincadeira. As mortes nesse show não foram por acaso. Tanto que foi comemorado em um stri club", disse ela, dando a entender que Travis Scott e Drake, atrações do festival, celebraram a tragédia alheia.

"Não tem como ser mais claro que isso. Vocês tem que abrir os olhos porque todos eles estão esfregando na nossa cara. Nem tentam esconder. Vai de vocês pesquisarem e verem o que está acontecendo por parte parte", continuou ela, aconselhando seus seguidores, em texto publicado a partir do recurso stories do Instagram. Em seguida, Yasmin compartilhou a publicação de uma página sobre teorias da conspiração. Na postagem, o palco de Travis Scott é comparado a figuras demoníacas, incluindo Moloch - que na tradição cristã e cabalística é o nome de um demônio.

Não demorou muito e fãs de Yasmin começaram a contestá-la nas redes sociais, principalmente, no Twitter. "O Travis Scott foi negligente não satanista. Parem de espalhar teoria da conspiração como se fosse fato. Parem de seguir a onda da Yasmin e vão ler as notícias completas", disse um fã identificado como Jess Rabelo. "Coincidência que a Yasmin só aponta ritual satânico no show de um artista negro e de um estilo musical majoritariamente negro? Hum…", pontuou outra seguidora, dando a entender que por trás da declaração da modelo pode ter racismo enraizado. Confira mais reações postadas na plataforma.

Após a onda de críticas, nesta terça-feira (16), Yasmin Brunet voltou a se posicionar sobre o assunto. "Respeito muito quem não acredita no que eu falei, afinal, todos temos um ponto de vista diferente. E queria deixar claro que falei dele [Travis Scott] em específico porque foi no show dele, mas muita gente faz a mesma coisa com a música", declarou ela, em texto postado nos stories, esquivando-se de qualquer acusação de racismo. "Vocês têm que começar a pesquisar sobre este tipo de coisa, não dá para ficar colocando a cara a tapa aqui o tempo todo. Ainda mais com tanta gente chata. [...] mas comecem a prestar atenção nas letras das músicas que vocês ouvem. Prestem atenção nos clipes, o que vocês sentem quando ouvem... eles te influenciam? É só abrir os olhos", complementou a modelo. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários