Roberto Carlos e o ex-mordomo Nichollas Mariano
Reprodução/Instagram/Youtube
Roberto Carlos e o ex-mordomo Nichollas Mariano

Após 42 anos, Nichollas Mariano vai finalmente conseguir lançar o livro que escreveu sobre Roberto Carlos. Ele trabalhou como mordomo e procurador do cantor durante 12 anos, entre 1962 e 1973, descobrindo muitos detalhes da vida do Rei. Nichollas compartilhou um pouco dessa intimidade na obra "O Rei e Eu", que teve seu lançamento proibido em 1979 pelo próprio artista, mas pretende lançar uma nova versão da obra no final de 2021.

O livro de Nichollas está com uma nova versão. O ex-mordomo retirou os trechos que incomodaram Roberto Carlos, como a prótese na perna e outras polêmicas. Ele promete contar a vida do cantor, mas diz que não dará tantos detalhes como fez originalmente. Com essas mudanças, a obra ganhou até um novo título e se chamará "Esse Cara Fui Eu".

"Devo ter sido um dos primeiros fãs do Roberto e nos conhecemos no início da década de 60 quando eu era discotecário da Rádio Carioca. Depois, tive a alegria de conviver com esse artista maravilhoso. Além de mordomo, eu era seu procurador. Eu podia assinar cheques, documentos e contratar em nome do Roberto. Vou contar no novo livro um pouco da minha história também, a história das rádios. Do Rei, não vou contar tudo", diz em entrevista ao canal de YouTube FC Discos.

Mesmos sem essas polêmicas, Nichollas garante que contou histórias interessantes sobre a vida com Roberto Carlos. "Terá muitas histórias curiosas da época, como quando o advogado do Roberto Carlos tentou proibir que o Silvio Santos falasse do meu livro na rádio em que ele trabalhava. Silvio continuou lendo o livro para seus ouvintes, alegando que o livro havia sido proibido de ser vendido, mas não lido", conta.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários