Maria Rita, Sérgio Reis e Guilherme Arantes
Reprodução Facebook
Maria Rita, Sérgio Reis e Guilherme Arantes

Após Sérgio Reis ser alvo de operação da Polícia Federal nesta sexta-feira (20) , o novo disco do cantor sofre mais duas baixas após a divulgação de um áudio em que o cantor sertanejo convoca atos antidemocráticos em defesa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Depois de Gutemberg Guarabyra, famoso pela dupla com o cantor e compositor Luiz Carlos Sá, anunciar que não participará mais do novo disco de Sérgio Reis, os cantores Maria Rita e Guilherme Arantes também comunicaram ao GLOBO que deixaram o álbum.

"Maria Rita não faz mais parte do projeto (de Sérgio Reis) ", informou a assessoria da artista, que já havia gravado com o sertanejo uma versão inédita para a música "Romaria" (de Renato Teixeira), famosa na voz de Elis Regina, mãe da cantora. Representantes de Guilherme Arantes também afirmaram que o dueto inédito de "Planeta água", igualmente previsto para compor o repertório do novo trabalho de Sérgio Reis, não tem mais autorização para ser incluído no álbum. Guilherme Arantes falou ao GLOBO:

Você viu?

— Para mim, compositor, a gota d'água, sem querer brincar de trocadilho, foi esse colega dizer que não é frouxo, que não é mulher. Para mim, essa expressão bastou. Chega — afirma Guilherme Arantes. — Não quero mais participar e ponto final. "Planeta água" é uma ode ao espírito feminino da natureza, chave da alma brasileira. A água é o elemento-símbolo do Brasil , elemento-chave da natureza feminina do universo. E é no feminino que está a força desse elemento da vida. Assim, e só por conta desse equívoco, ficou incompatível a canção com o intérprete.

A decisão de ambos acontece diante da divulgação de um áudio em que Sérgio, em defesa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), convoca uma paralisação de caminhoneiros, em setembro, até que o Senado afastasse os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de seus cargos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários