Nayara caiu de um prédio no Chile
Reprodução
Nayara caiu de um prédio no Chile


A versão de que a morte da modelo e apresentadora Nayara Vit, de 33 anos, ocorreu por ela ter se jogado do 12º andar do prédio onde morava com o namorado em Santiago , no Chile, não faz sentido para a família da brasileira. 


De acordo com a mãe de Nayara, Eliane Vit, gritos ouvidos pela babá, o barulho de um vaso se quebrando, duas limpezas feitas no apartamento e móveis trocados são algumas das divergências do caso, que hoje é investigado como suicídio. 

O caso ocorreu na quarta-feira (7), mas só veio à tona no final de semana, quando Eliane conta que alguns pontos levantaram suspeitas. O irmão de Nayara, Gabriel Vit, chegou a enviar uma carta para o Ministério das Relações Exteriores pedindo ajuda do governo brasileiro nas investigações sobre a morte da modelo.

Ele afirma que a irmã pode ter sido vítima de um feminicídio por conta da versão apresentada pelo namorado de Nayara, o executivo de uma empresa de tecnologia do Chile, Rodrigo Del Valle Mijac. Eliane contou para o UOL que na última chamada de vídeo com a filha, ela aparentava estar bem. 

"Não falou nada sobre brigas, disse que tinha passado o dia com a filha, que tinham almoçado juntas e que havia comprado um tênis para malhar porque as academias voltariam a abrir", contou a mãe. Nayara também disse que havia deixado a filha de quatro anos, fruto do relacionamento com o ex-marido com a babá.

Você viu?

Quando a mãe perguntou pelo namorado, Nayara disse que ele estava no trabalho. Horas mais tarde, após conversar com a mãe, a modelo caiu do 12º andar do apartamento onde morava. Na versão de Rodrigo, Nayara, sem dizer nada, correu em direção à sacada e pulou. 

No entanto, uma amiga chilena conversou com a babá, que cuidava da filha de Nayara naquela noite. Ela afirmou ter ouvido gritos, um vaso se quebrando e, em seguida, o barulho da modelo caindo. 

"Como ele diz que ela passou correndo e se jogou, quando tem a babá dizendo que ouviu um grito? Limparam o apartamento duas vezes, não houve perícia no apartamento, nem no local da queda. Não queremos apontar um culpado, só queremos saber a verdade", disse Eliane. 

Eliane também estranha que Rodrigo não ligou para ela ou para o pai de Nayara quando ela se jogou do apartamento. O executivo entrou em contato apenas com o ex-marido da modelo. "O pai dela ligou para o celular dele [de Rodrigo]. Ligou várias vezes, mas ele não atendeu. Deixou mensagem no Whatsapp. Ele visualizou e não respondeu. Depois de meia hora, ele ligou para o pai dela. Disse que a Nayara estava tomando uma medicação muito forte para depressão há três meses, tinha tentado [suicídio] duas vezes", disse a mãe. 

Aos familiares, Nayara nunca deu indícios de que poderia estar em um relacionamento abusivo. Na carta enviada ao Ministério das Relações Exteriores, Gabriel Vit ressalta que a irmã estava "em pleno desenvolvimento como pessoa" e "feliz com a filha". 

Eliane confirma o que foi dito por Gabriel e acrescentou que a filha não tinha comportamento suicida e que tratava da depressão. "Queremos pressionar para que haja uma investigação. Sabemos que infelizmente o dinheiro compra tudo. Um movimento muito grande começou no Chile questionando a morte, o #somostodasnayara", afirmou Eliane.

"Queremos pressionar para que haja uma investigação. Sabemos que infelizmente o dinheiro compra tudo. Um movimento muito grande começou no Chile questionando a morte, o #somostodasnayara", afirmou Eliane.

Nesta terça (13), a previsão é de que o corpo de Nayara seja liberado e, a princípio, enterrado no Chile. Há possibilidade de ser solicitada uma exumação por conta do andamento das investigações. "O advogado entrou com perícia criminal posterior. Um dos principais problemas é que não foi feita perícia no local, a polícia simplesmente recolheu o corpo. Fico imaginando minha filha todos os dias no necrotério e não posso fazer nada", lamentou a mãe. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários