Carlos Vereza e José de Abreu
Divulgação / Divulgação Globo
Carlos Vereza e José de Abreu

Carlos Vereza decidiu processar José de Abreu na esfera cível, o ator pede uma indenização de R$ 80 mil por danos morais. Vereza foi xingado de "esclerosado, hipócrita, sem caráter e fascista", além de acusado de bater em uma atriz nos bastidores de "Corpo Dourado" (1998). 

Além da indenização, segundo documentos obtidos pelo Notícias da TV,  Carlos Vereza exige de José de Abreu uma retratação pública, proporcional à quantidade de publicações no Twitter do réu endereçadas ao autor. 

Entenda o caso

A confusão entre os atores começou em janeiro de 2020, quando José de Abreu teceu críticas a Regina Duarte que, à época, tinha aceitado o convite de Jair Bolsonaro (sem partido) para integrar o governo. Vereza, por sua vez, foi às redes pedir respeito pelas escolhas dos colegas. Entretanto, a situação acabou fugindo do controle.

"Alô, José de Abreu ! Respeite a Regina Duarte! Respeite as escolhas diferentes das suas! Sempre te tratei com afabilidade, aceitando seu ponto de vista em questões ideológicas. Por que vibrar sempre no ódio, nas baixas energias? Procure em você o lado mais generoso, que, com certeza, possui", disse Vereza , na época.

"Embora não acredite, estamos numa democracia, 57 milhões de eleitores fizeram uma escolha, assim como você. Esqueça os tristes adjetivos, o país carece de amabilidade. Espere, calmamente, até 2022 e vote nos seus candidatos", completou Carlos, citando um verso de  Arthur Rimbaud (1854-1891) para o colega.

Em resposta, Abreu dissertou. "Infelizmente, eu não respeito nem fascistas nem quem os apoia, como você e ela. Achei bonita sua hipocrisia, sua falta de caráter e memória, digna de um esclerosado que costuma falar com supostos aliens, considerados 'espíritos superiores' que vieram visitá-lo em discos voadores, como se pode ver em um vídeo postado na rede", escreveu.

"Achei também muito bonita sua citação de Rimbaud, um artista louco como eu, não como você, doente, que vê discos voadores. Uma loucura sadia, produtiva, como deve ter todo artista. Como a minha, que ataca fascistas e apoiadores de fascista, como você e Regina Duarte, mas que jamais atira uma bengala numa colega em início de carreira, em cena, como você fez na novela Corpo Dourado. Eu estava lá e vi", completou  José de Abreu citando um episódio de agressão. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários