Gina Carano atuava na série The Mandalorian, da Disney+
Reprodução
Gina Carano atuava na série The Mandalorian, da Disney+


Após Gina Carano usar as redes sociais para comparar críticas feitas ao partido republicano dos Estados Unidos à perseguição ao povo judeu na Alemanha nazista, a Lucasfilm, produtora da série The Mandalorian e do universo Star Wars se pronunciou oficialmente para condenar as postagens da atriz.


O comunicado do estúdio chama as declarações da intérprete de Cara Dune na série do Disney + de "abomináveis e inaceitáveis". "Gina Carano não está atualmente empregada pela Lucasfilm e não há planos para ela no futuro”, afirmou o estúdio. “Ainda assim, suas postagens nas redes diminuindo as pessoas com base em suas identidades culturais e religiosas são abomináveis e inaceitáveis", aponta a nota.

Você viu?

Além do estúdio, fontes afirmaram ao Hollywood Reporter que ela também foi dispensada pela agência UTA, que cuidava da carreira da atriz e ex-lutadora. 

Nas postagens, Carano afirmou que o genocídio do povo judeu foi causado "não pelos nazistas, mas pelos vizinhos". "Como a história é editada, a maioria das pessoas não percebe que para chegar ao ponto em que os nazistas conseguiam prender milhares de judeus, o governo fez com que seus próprios vizinhos os odiassem apenas por serem judeus. Como isso é diferente de odiar alguém apenas por suas visões políticas?”, diz o post da atriz.

A postagem feita após a onda de críticas que políticos e partidários republicanos têm recebido após incitarem a invasão ao Capitólio, sede do poder legistaltivo dos EUA. O principal incentivador, Donald Trump, passa pelo segundo processo de impeachment. 

Até o pronunciamento da Lucasfilm, havia a expectativa que Carano retornasse ao papel de Cara Dune em Rangers of The New Republic, anunciada no Dia dos Investidores da Disney. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários