Claudia Raia relembrou um pouco de seu passado ao falar sobre o casamento que teve com Alexandre Frota. A biografia da atriz está prestes a ser lançada e o livro fala sobre diversas passagens da vida da artista, como a polêmica relação com o ex-ator pornô e atual político,  que ela já chamou de mulherengo compulsivo.

Casamento de Claudia Raia com Alexandre Frota
Reprodução
Casamento de Claudia Raia com Alexandre Frota

"Já começamos o livro por aí, esse grande devaneio adolescente que foi o meu casamento com o Alexandre. Foi uma cerimônia religiosa muito suntuosa, uma festa para 500 pessoas, muito vestido, muita cauda, muito véu. Uma loucura! Além do casamento, conto toda a nossa história. Vocês vão descobrir um pouco mais sobre isso", contou a atriz em entrevista à revista Elle. Claudia também garante que está tudo descrito no livro, inclusive a explicação do porquê ela jogou as roupas de Frota na Lagoa Rodrigo de Freitas , no Rio de Janeiro.

Além da relação com Alexandre Frota, Claudia também falou sobre o casamento com Edson Celulari, com quem teve dois filhos, Enzo e Sophia. "Nós tínhamos uma relação tranquila, amorosa. Edson me ajudou a encontrar o meu tamanho. Antes, comigo era tudo muito: muito cabelo, muita roupa, muito brinco. Eu era a síntese dos anos 1980. Já o Edson é um cara low profile. Essa combinação foi importante. E fomos muito felizes. Foi um casamento lindo e que deu certo. Só que o nosso 'felizes para sempre' tinha data para acabar. Só isso. Não quer dizer que deu errado", analisa.

A biografia da atriz não fala somente sobre a vida amorosa, mas também aborda outras questões da trajetória dela. Um exemplo disso, é o assédio que Claudia Raia sofreu quando era jovem e vivia em Nova York, nos Estados Unidos. Claudia disse que ler sobre episódio não lhe casou dor e que o incômodo é ver situações semelhantes a que viveu acontecendo ainda hoje. "Que bom que agora, pelo menos, estamos falando cada vez mais de feminismo. As mulheres começam a se sentir mais à vontade para falar sobre as suas experiências. Precisamos falar e, mais do que isso, mudar essa realidade", ela defende.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários