Cesar Tralli contou em entrevista ao colunista Mauricio Stycer sobre as dificuldades que a crise de saúde mundial impuseram a ele, como lidar com informações falsas repassadas na internet e a saudade de estar com a família, já que tem passado cerca de 13 horas por dia na Globo, para apresentar o SP TV 1 e um jornal vespertino na GloboNews.

César Tralli e Ticiane Pinheiro
Reprodução/Instagram
César Tralli conta que está trabalhando tanto que não consegue passar tempo com a família


Para poder comandar os dois telejornais, Tralli conta que chega na Globo antes das 8 e só sai da emissora às 20h30. "O que eu mais gosto de fazer é ser um repórter que está na apresentação . Eu ajudo a apurar a notícia, eu pego no telefone, falo com as fontes, ligo para secretários, falo com autoridades . É um trabalho que tem que começar logo cedo para quando chegar a hora do almoço você estar com bastante coisa já em mãos para poder botar no ar", ele conta.

Nesse processo de apuração, o jornalista conta que a equipe do SP TV trabalha bastante com as sugestões de pauta e demandas que o público envia. Ele calcula que metade dos temas abordados no jornal vem de ideias dadas pelo público, mas se isso é bom pelo fato de poder produzir um jornalismo que dialogue com a comunidade, também há o desafio de lidar com informações falsas.

" É inacreditável como as pessoas recebem alguma coisa no celular e imediatamente repassam sem checar, sem ver se aquilo procede . E aí vira um vírus pior do que essa da pandemia. A fake news vai se espalhando de uma forma que pega todo mundo. E depois você tem que sair dizendo que isso é mentira. Eu recebo fake news de autoridades", conta o marido de Ticiane Pinheiro.

Além desse problema, o âncora da Globo também falou que os jornalistas estão tendo que se adaptar às novas medidas de isolamento social e higiene na hora trabalhar e também têm de lidar a agressividade das pessoas. Tralli fala que pessoas que ele não imaginava que seriam capazes de desrespeitar o trabalho dos outros estão fazendo isso.  "Esse momento de agressividade, descontrole, radicalismo, extremismo que o país está vivendo é muito triste para todos nós como seres humanos, cidadãos", conta.

Vida Pessoal

Com o tanto de horas que Cesar Tralli está trabalhando, ele conta que está com saudade de poder passar tempo com a família . Ele contou que não está vendo os pais por causa das medidas de isolamento social, mas o jornalista não está conseguindo conviver com os familiares que moram com ele. "Mal consigo ver a minha filhinha que está com dez meses. Às vezes eu saio de casa de manhãzinha, ela está acordando, eu dou um beijo nela. E já me peguei entrando no elevador chorando de saudade", revelou o pai da pequena Manuela .

Tralli também falou sobre o relacionamento com Ticiane Pinheiro . "Quando a gente começou a se relacionar, foi muito difícil, porque ela tinha uma dificuldade de entender as minhas limitações como jornalista", lembrou o funcionário da Globo. "A gente tem uma relação muito legal. Ela tem o seu universo artístico. E eu tenho o meu universo jornalístico , que não tem nada a ver com o dela. Então, eu respeito muito ela, as coisas que ela faz, e ela respeita o meu trabalho, as minhas limitações. Eu acho que isso está indo muito legal, porque a gente não fala muito de trabalho em casa", completa o jornalista.

    Veja Também

      Mostrar mais