Tamanho do texto

Apresentador estava internado desde quarta-feira (20), quando sofreu uma queda em casa quando consertava um ar-condicionado e bateu a cabeça

Gugu Liberato arrow-options
Divulgação
Gugu sofreu acidente enquanto consertava aparelho de ar-condicionado

O apresentador Gugu Liberato morreu nesta sexta-feira (22) após sofrer um acidente em casa em Orlando , nos Estados Unidos,  na quarta-feira (20). Ele caiu de uma altura de quatro metros enquanto tentava trocar o filtro de um aparelho de ar-condicionado e o forro de gesso de sua residência cedeu. Antes de atingir o chão, o artista bateu a cabeça em um móvel.

De acordo com nota divulgada pela família do apresentador, a morte encefálica foi confirmada pelo Prof. Dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família eles autorizaram que todos os órgãos do apresentador sejam doados ( leia nota oficial abaixo ) .

Gugu Liberato deixa para a família fortuna estimada em R$ 170 milhões
Amigos e artistas lamentam perda de Gugu Liberato
5 carros que já serviram de Táxi do Gugu

Uma carreira marcada por carisma e reinvenções; confira trajetória de Gugu na TV
Na televisão, Gugu Liberato colecionou amizades. Relembre histórico
Polêmicas marcaram vida de Gugu Liberato - nem todas verdadeiras
Confira os sucessos que ganharam forma na voz de Gugu; lembre as músicas do artista

Ainda segundo a família, após o acidente, o Gugu foi atendido no hospital  Orlando Health Medical Center , onde permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Na admissão foi constatado escala de Glasgow de 3 e os exames iniciais mostraram sangramento intracraniano.

Essa escala de Glasgow é usada por médicos para medir a consciência e a evolução das lesões cerebrais em um paciente. Ela vai de 3 a 15 pontos e é determinada por meio de estímulos como beliscões e cutucões para verificar a abertura ocular e a resposta motora. À medida que a pessoa demora mais a responder aos estímulos, ela começa a perder esses pontos.

Por conta da gravidade, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico e, durante o período de observação, também foi constatada a ausência de atividade cerebral.

Na presença da família, o Prof. Dr. Guilherme Lepski, após ver as imagens dos exames em detalhes confirmou a irreversibilidade do quadro clínico. A notícia foi dada pelo médico diante da mãe Gugu, Maria do Céu, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.


Confira a nota oficial divulgada pela família:

Este é um momento que jamais imaginamos viver. Com profunda tristeza, familiares comunicam o falecimento do pai, irmão, filho, amigo, empresário, jornalista e apresentador Antônio Augusto Moraes Liberato (Gugu Liberato), aos 60 anos, em Orlando, Florida, Estados Unidos.

Nosso Gugu sempre viveu de maneira simples e alegre, cercado por seus familiares e extremamente dedicado aos filhos. E assim foi até o final da vida, ocorrida após um acidente caseiro.

Ele sofreu uma queda acidental de uma altura de cerca de quatro metros quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão. Foi prontamente socorrido pela equipe de resgate e admitido no Orlando Health Medical Center, onde permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva, acompanhado pela equipe médica local.

Na admissão deu entrada em escala de Glasgow de 3 e os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação foi constatada a ausência de atividade cerebral. A morte encefálica foi confirmada pelo Prof. Dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico diante de sua mãe Maria do Céu, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.

Ainda não temos detalhes sobre o traslado para o Brasil. Informações sobre velório e sepultamento serão passadas assim que tudo estiver definido.

Ele deixa três filhos, João Augusto de 18 anos e as gêmeas Marina e Sophia de 15 anos.
Atendendo a uma vontade dele, a família autorizou a doação de todos os órgãos.