Tamanho do texto

Atriz foi escalada para viver personagem muçulmana no filme "Sweetness in the Belly", que estreará durante o Festival de Toronto nesta semana

Eita! Dakota Fanning se envolveu em uma polêmica nesta quinta-feira (5). Isso porque a atriz, em seu novo filme, "Sweetness in the Belly", interpreta uma jovem muçulmana refugiada.

Leia também: Com espartilho apertado, Elle Fanning desmaia no Festival de Cannes

Dakota Fanning arrow-options
Reprodução/Instagram/@dakotafanning
Dakota Fanning


Na história, baseada no livro homônimo escrito por Camila Gibb, Dakota Fanning dará vida à Lilly, uma jovem que foi abandonada pelos pais na África e que vai até a Etiópia, chegando no país no meio de uma guerra. Lá, ela é criada como muçulmana.

"Tantos atores muçulmanos talentosos por aí e vocês escolhem... Dakota Fanning? Eu imploro o seu perdão", publicou no Twitter Muhammad Butt, escritor, que tem mais de 11 mil seguidores na rede social.

"Só para esclarecer. No novo filme do qual faço parte, ' Sweetness in the Belly ', não interpreto uma mulher etíope. Interpreto uma britânica abandonada pelos pais aos sete anos na África e viro muçulmana. Minha personagem, Lilly, viaja para a Etiópia e é pega no início da guerra civil. Posteriormente, ela é enviada para casa na Inglaterra, um lugar de onde ela é, mas nunca conheceu", observou a atriz.

Leia também: Adam Sandler no Oscar? Ator está entre os cotados para o prêmio em 2020

Dakota Fanning arrow-options
Reprodução/Instagram/@dakotafanning
Dakota Fanning


"Baseado em um livro de Camilla Gibb , este filme foi parcialmente produzido na Etiópia, é dirigido por um homem etíope (Zeresenay Berhane Mehari) e apresenta muitas mulheres etíopes. Foi um grande privilégio fazer parte desta história", disse.

"O filme é sobre o que significa lar para as pessoas que se vêem deslocadas e para as famílias e comunidades que eles escolhem e que os escolhem", encerrou Dakota Fanning . O filme deve estrear no Festival de Toronto, que começa nesta quinta-feira (5), no Canadá.